O sistema QART

Tecnologia de ponta para medir a qualidade do ar – e fornecer dados precisos e seguros a empresas, órgãos ambientais e ao cidadão comum – já é realidade no Brasil
Conteúdo de Marca
Edição 120 - Publicado em: 19/11/2019

Consegue imaginar um sistema que coleta, em tempo real, informações integradas dos níveis de ruído, contagem de tráfego e de pessoas e as concentrações de gases e de partículas? E assegura, assim, o maior controle da qualidade do ar nas indústrias, cidades, portos, parques eólicos, linhas de transmissão de energia, hospitais e demais atividades que necessitem desse tipo de monitoramento?

Esse sistema – que consiste em uma estação portátil de monitoramento e pode ser instalada estrategicamente em um local ou em várias áreas a serem monitoradas, transmitindo automaticamente os dados coletados – já está disponível no Brasil. Batizado de Sistema QART, ele foi criado por engenheiros, técnicos, desenvolvedores de programação e cientistas em Portugal e também está presente em vários outros países.

O engenheiro ambiental Carlos Pedro Ferreira, um dos idealizadores do QART, explica que, na atualidade, não é possível tomar qualquer tipo de decisão sem informação. Quando uma prefeitura avalia, por exemplo, a abertura de uma rua para melhorar o tráfego em determinada região, ela necessariamente terá de analisar o tempo de duração de cada ciclo do semáforo, de modo a causar menos impacto no trânsito. E para fazer essa análise, dependerá de dados relativos ao volume de automóveis que passam pelo local.

QART: nova plataforma de informações se apresenta como tecnologia fundamental para a indústria e o poder público planejarem ações e cumprirem  a legislação ambiental
QART: nova plataforma de informações se apresenta como tecnologia fundamental para a indústria e o poder público planejarem ações e cumprirem a legislação ambiental

“Esse volume de carros, motos, ônibus e caminhões impacta não somente o tráfego, mas também o conforto acústico e a qualidade do ar, em razão dos ruídos, gases e partículas emitidos pelos veículos”, exemplifica Carlos Pedro, que trabalha junto com os sócios, o engenheiro eletrotécnico Jorge Ferreira e Alexandre Simões, integrantes do projeto desde a sua fase inicial.

De Lisboa a BH

De acordo com Carlos Pedro, se boa parte das ruas, bairros, escolas e hospitais das cidades tivesse um Sistema QART monitorando a qualidade do ar, seria possível fazer um planejamento urbano mais global e inteligente. Isso contribuiria ainda para a melhoria da mobilidade e da qualidade do ambiente e, consequentemente, do bem-estar e da qualidade de vida das pessoas.

“Se uma prefeitura, a exemplo do que já ocorre em várias cidades europeias, decide que em determinada zona urbana não haverá circulação de automóveis – visando melhorar a qualidade do ar –, é preciso ter informações indicativas que ajudem nessa tomada de decisão”, acrescenta Carlos Pedro, que também é sócio e gerente da QART e de outras empresas dos grupos ISQ e Sondar.i.

Criado há três anos e meio, o Sistema QART já tem dezenas de estações de monitoramento espalhadas por Portugal, onde está presente em diferentes pontos da capital, Lisboa, e foi adotado também pela Prefeitura de Cascais. No Brasil, monitora a qualidade do ar no entorno da Mineradora Santa Elina, em Nova Brasilândia D’Oeste (RO), do Porto do Itaqui (MA) e do entorno do Labbing Sion Cowork, em Belo Horizonte.

Relatórios gerados pelo Qart podem ser de emissões médias diárias, semanais, mensais ou anuais. Sistema mostra o valor de emissões-limite, com base na legislação de cada país, estado ou município. Foto: Divulgação
Relatórios gerados pelo Qart podem ser de emissões médias diárias, semanais, mensais ou anuais. Sistema mostra o valor de emissões-limite, com base na legislação de cada país, estado ou município. Foto: Divulgação

A estação de monitoramento QART é portátil, leve e de baixo custo. “É um sistema extremamente democrático. Pode ser adquirido tanto por um cidadão comum, que queira medir a qualidade do ar em sua rua, quanto por uma grande indústria que precisa emitir relatórios mensais e enviá-los aos órgãos de controle ambiental”, sinaliza o especialista.

Vale esclarecer que a estação de monitoramento é peça integrante de um grande sistema de informação e, esse sim, é considerado a grande cereja do bolo. Afinal, é com os dados gerados em mãos que o gestor, da indústria ou rede pública, pode traçar suas metas e se adequar à legislação local.

Há ainda outras vantagens. Quando adquirido por órgãos públicos e/ou instituições privadas, o QART pode, por exemplo, complementar a rede de estações meteorológicas e de medição da qualidade do ar já existentes, melhorando a representatividade espacial da amostragem a um baixo custo.

Cidades inteligentes

No caso de cidades que planejem implantar um metrô ou um novo sistema de transporte público, o QART é uma ferramenta que pode ser adotada para integrar os sistemas de monitoramento de automóveis, calculando o número de veículos que trafegam em determinada área e possibilitando a análise de como eles impactam a qualidade do ar e a acústica ambiental.

“A partir daí, será possível definir a melhor estratégia global da mobilidade urbana, ofertando os serviços de transporte de forma inteligente, em sintonia com as premissas das Smart Cities (cidades inteligentes)”, salienta Carlos Pedro.

Energia solar é diferencial

O Sistema QART pode ser usado em qualquer parte do mundo, e tende a se tornar cada dia mais barato. Atentos ao futuro, seus idealizadores conceberam um equipamento com um importante diferencial de sustentabilidade: ele é alimentado por uma bateria, que é carregada durante o dia a partir da energia solar.

Além disso, transmite as informações coletadas para diversas plataformas, por meio de um chip que transfere os dados de forma cada vez mais ágil. Após a coleta dos dados de determinado local, as informações armazenadas são enviadas – via GSM, Wi-Fi, LoRa e NB-IoT – para potentes servidores localizados na Holanda, Alemanha e Estados Unidos, podendo ser acessadas de qualquer lugar pelo cliente”, explica Carlos Pedro, sócio e gerente da QART.

O desenvolvimento da plataforma que processa os dados coletados foi tão ou mais importante do que a idealização do dispositivo em si. Isso porque é essa plataforma que fornece ao cliente, em tempo real, os dados essenciais ao seu negócio. “Hoje, é inviável uma empresa ou órgão governamental esperar 15 dias ou um mês pelo consolidado de dados necessários para tomar uma decisão que precisa ser imediata”, ele pondera.

Alexandre Simões, Carlos Pedro e Jorge Ferreira, diretores e sócios da QART
Alexandre Simões, Carlos Pedro e Jorge Ferreira, diretores e sócios da QART

Segurança dos dados

Além da agilidade em armazenar as informações coletadas, o Sistema QART se destaca pela segurança e confidencialidade dos dados obtidos. “Esse é um tipo de negócio que só sobrevive se o cliente final tiver a certeza de que seus dados confidenciais estão blindados e muito seguros. E essa, sem dúvida, também é uma questão fundamental para nós.”

Ao falar sobre mais esse diferencial do QART, Carlos Pedro cita um caso ocorrido em Portugal. “Uma grande indústria estava emitindo muitos gases e foi denunciada pela comunidade local. Há oito meses, fomos contratados pela empresa, para medir a qualidade do ar no local, e também pelos cidadãos. Ambos nos pediram que os dados coletados com o QART fossem mantidos em sigilo um do outro.” Felizmente, o problema já foi detectado. A empresa investiu alguns milhões de euros nos reparos e a solução segue em andamento.

Essa nova tecnologia também pode ser usada para compartilhar as informações para um maior número de pessoas. Ou seja, se depois de coletados, os dados forem para uma plataforma aberta e transparente, eles podem ajudar a mobilizar as pessoas a diminuírem, por exemplo, o consumo de produtos poluentes.

Pode, ainda, ajudá-las a ficarem mais atentas às políticas públicas da região onde vivem ou se informarem melhor a respeito das políticas ambientais adotadas pela empresa na qual trabalham.

Otimista, Carlos Pedro afirma que, para ele, trabalhar na causa ambiental, respirar ar puro e garantir um futuro sustentável para as gerações futuras é muito importante e inspirador. “Acreditamos que podemos contribuir para apoiar a fiscalização feita por órgãos ambientais e, principalmente, para melhorar a qualidade de vida das pessoas, como temos feito no Brasil. Esperamos crescer e seguir melhorando juntos nos próximos anos.”

Fique por dentro

Saiba mais

http://www.q3a.com.br

robson.caldeira@q3a.com.br

Editado por Gonçalo Pimentel


Postar comentário