ALMG vai monitorar recomendações da CPI de Brumadinho

Fiscalização será feita por grupo criado para garantir reparação de danos da tragédia
Da redação* - redacao@souecologico.com
Mineração
Publicado em: 18/09/2019

Durante solenidade de entrega do relatório final da CPI da Barragem de Brumadinho, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), para a Mesa do Legislativo mineiro e para autoridades do governo e da sociedade civil, na manhã desta terça-feira (17/09), o presidente da Casa, deputado Agostinho Patrus (PV), anunciou a criação de um grupo de trabalho para monitorar o cumprimento das recomendações contidas no documento.

“A Assembleia Legislativa continua em luto pela perda de tantas vidas e nosso trabalho não vai parar com a entrega deste relatório”, disse o presidente.

O grupo de trabalho deverá ser formado pelos mesmos deputados, efetivos e suplentes, que fizeram parte da CPI, em virtude do conhecimento adquirido em seis meses de investigações.

A comissão foi constituída no dia 14 de março e fez a leitura e a aprovação do relatório final no dia 12 de setembro deste ano. Em seu relatório final, ela apontou fatos que concorreram para o rompimento da Barragem B1, da Mina Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte. A tragédia ocorreu em 25 de janeiro deste ano e provocou as mortes de 270 pessoas.

O documento também aponta os responsáveis, pede o indiciamento de 13 pessoas e faz mais de 100 recomendações a órgãos públicos e empresas.

Foto: Flavia Bernardo  / ALMG
Foto: Flavia Bernardo / ALMG

Entrega. Representantes de diferentes órgãos, como Ministério Público de Minas Gerais, Defensoria Pública Estadual e Polícia Militar, e de entidades como o Sindicato dos Jornalistas, além de familiares de vítimas, estiveram presentes à solenidade e receberam, das mãos de Agostinho Patrus e do deputado Gustavo Valadares (PSDB), presidente da CPI, a versão completa do relatório.

* Com ALMG


Postar comentário