Australian Open é afetado por fumaça de incêndios do país

Um dos principais torneios de tênis do mundo tem tido dificuldades para ser realizado
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 15/01/2020

Um dos quatro grand slams da temporada do tênis, o Australian Open tem tido dificuldades para ser realizado. O torneio, que teve início nessa terça-feira (14) e vai até 27 de janeiro, foi afetado diretamente pelos incêndios que atormentam a Austrália desde setembro de 2019. O campeonato tem sede em Melbourne, capital do país.

A condição do ar está insustentável e ficou evidente como atrapalha o desempenho dos tenistas. Vários jogadores tiveram dificuldades. Uma delas foi a eslovaca Dalila Jakupovic, que desistiu de uma partida por causa de um ataque de tosse.

“Estou furiosa por ter sido obrigada a jogar nestas condições. Nunca tinha vivido nada disto na minha vida. Não conseguia respirar, não conseguia andar, nada. Fiquei muito assustada com toda a situação”, criticou.

Organização do slam tem realizado ações que visam arrecadar fundos a instituições que combatem o fogo (Foto: Divulgação/Australian Open)
Organização do slam tem realizado ações que visam arrecadar fundos a instituições que combatem o fogo (Foto: Divulgação/Australian Open)

A partida entre Eugenie Bouchard e Xiaodi You, no qual a canadense derrotou a chinesa em três horas de jogo, terminou com as tenistas se arrastando em quadra com evidentes problemas na respiração. A organização do torneio tem promovido ações para alertar o caos da atual situação no país, a partir da doação de verba a instituições que ajudam a manter a combater o fogo.

A estimativa é de que 1 bilhão de animais foram mortos. O número baseia-se em estudo feito em 2007 por um grupo de cientistas especializados em répteis, mamíferos e outros animais que estimava que, em média, havia entre 150 e 160 animais vertebrados em cada hectare do ecossistema.

Em média, 80% desses animais são répteis, incluindo lagartos e cobras, 12% a 15% são aves e 5% a 8% são mamíferos, ficando fora do total morcegos, sapos, peixes e insetos, cujas populações não foram contabilizadas pelo estudo. O número de pessoas mortas nos incêndios da Austrália é 27, e 2.131 casas foram destruídas.


Postar comentário