Bolsonaro sugere que queimadas na Amazônia são provocadas por ONGs

Presidente disse que organizações estariam precisando "chamar a atenção" contra o governo
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 22/08/2019

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, nessa quarta-feira (21), que o elevado número de queimadas na Amazônia neste ano pode estar ligado a ações de Organizações Não Governamentais (ONGs). O chefe do Executivo nacional afirmou que isso pode ser uma estratégia para “chamar a atenção” contra o governo.

Bolsonaro acredita que incêndios podem ter sido planejados pela organizações (Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República)
Bolsonaro acredita que incêndios podem ter sido planejados pela organizações (Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República)

“O crime existe, e isso aí nós temos que fazer o possível para que esse crime não aumente, mas nós tiramos dinheiro de ONGs. Dos repasses de fora, 40% ia para ONGs. Não tem mais. Acabamos também com o repasse de dinheiro público. De forma que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro. Pode estar havendo, não estou afirmando, ação criminosa desses ‘ongueiros’ para exatamente chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. Essa é a guerra que nós enfrentamos”, disse Bolsonaro, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

De janeiro à última terça-feira (20), o número de queimadas na Amazônia foi 145% superior ao registrado no mesmo período de 2018. Na Amazônia brasileira, as taxas de alerta de desmatamento estão ligadas à incidência de fogo, que é uma das principais ferramentas usadas para desmatar.

Nessa quarta-feira, Bolsonaro disse também que as entidades ambientais “perderam a boquinha” depois que ele assumiu o governo. O presidente seguiu insinuando a participação das ONGs nos atos. “O fogo foi tocado em lugares estratégicos na Amazônia toda. Pelo o que tudo indica, o pessoal foi para lá filmar e tacaram fogo. Esse é o meu sentimento”.

Bolsonaro também aproveitou a oportunidade para atacar os governadores dos estados afetados pelas queimadas e pelo desmatamento. “Não quero citar nome, que está conivente com o que está acontecendo e bota a culpa no governo federal. Tem estados aí, que não quero citar, na Região Norte, que o governador não está movendo uma palha para ajudar a combater incêndio. Está gostando disso daí”, complementou.

O presidente afirmou que o governo está estudando uma maneira de combater os incêndios, citando os ministérios da Defesa, Meio Ambiente e Justiça. “A Justiça pode mandar, acredite, 40 homens da Força Nacional para lá. É uma gota d’água no meio do oceano. As Forças Armadas, devemos usar, talvez a partir de amanhã (quinta-feira), unidades ali da região, porque não tem como deslocar daqui para lá. Vai faltar comida para o Exército a partir de setembro. É a situação em que nós nos encontramos”, finalizou.


Postar comentário