Campanha alerta para conservação marinha

Conduta responsável nas praias, quando aumenta o número de banhistas, é fundamental para evitar danos ao meio ambiente
Meio Ambiente
Publicado em: 12/03/2019

Nestes dias de verão, nada melhor do que viajar para algumas das muitas praias paradisíacas do país. Opções é o que não falta. Tem desde ilhas que oferecem ambiente selvagem a cidades litorâneas onde o turista pode desfrutar do contato com a natureza. E, ao mesmo tempo, curtir o agito de espaços urbanos.

Mas, além de se divertir, é fundamental que os banhistas zelem pela conservação dos ambientes marinhos, adotando práticas conscientes, como não jogar lixo na areia ou no mar, preservar a vegetação de restinga, respeitar as proibições de trânsito com veículos automotores e embarcações.

Barcos de turistas nos recifes da Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais. Foto: Projeto Toyota/APACC/Divulgação
Barcos de turistas nos recifes da Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais. Foto: Projeto Toyota/APACC/Divulgação

É preciso, ainda, ter um cuidado todo especial com um dos principais atributos marinhos: os recifes de coral, um ecossistema muito sensível e rico em biodiversidade, que costuma atrair a atenção das pessoas pela sua beleza natural.

Parte dos recifes estão em unidades de conservação marinhas, como a Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais, entre Alagoas e Pernambuco, e o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, no litoral do extremo sul da Bahia. Outros ficam em regiões ainda não protegidas oficialmente pelo governo.

Num ou noutro local, no entanto, os banhistas, ao entrarem em ambientes sensíveis como os recifais, devem agir de forma cuidadosa e consciente sobre a importância e a necessidade de preservação desses ecossistemas marinhos.

Em execução desde o início do verão, em dezembro, a campanha conta com o apoio do “Projeto TerraMar”, uma parceria entre o MMA, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o ministério do Meio Ambiente da Alemanha, por meio da agência de cooperação alemã GIZ.

Fonte: MMA


Postar comentário