Canudos de plástico podem estar com os dias contados em BH

Projeto de lei que permite somente canudos biodegradáveis será votado em segundo turno nesta segunda na Câmara Municipal
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 03/02/2020

Os canudos de plásticos convencionais podem ter distribuição proibida em Belo Horizonte. Isso porque, nesta segunda-feira, será votado em segundo turno o projeto de lei 557/18, que quer obrigar restaurantes, bares, lanchonetes e similares a usarem e fornecerem canudos de papel biodegradável, reciclável e/ou reutilizável no lugar das opções que prejudicam o meio ambiente.

Para o texto ser aprovado, é necessário o “sim” de 21 dos 41 vereadores da Câmara Municipal de BH. Quatro emendas, que podem alterar detalhes da possível lei municipal, estão anexadas à matéria, de autoria do vereador Jorge Santos (PRB).

BH pode ser mais uma cidade brasileira a proibir canudos de plástico (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
BH pode ser mais uma cidade brasileira a proibir canudos de plástico (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Em outras cidades e estados do Brasil, o canudo de plástico convencional já é proibido, como em toda São Paulo. Desde julho de 2019, somente canudos biodegradáveis podem ser distribuídos em solo paulista. Autor do texto, o deputado estadual Rogério Nogueira (DEM-SP) justificou.

"O canudo plástico é um dos maiores problemas ecológicos contemporâneos. Se cada brasileiro utilizar um canudo plástico por dia, em um ano, serão consumidos 75.219.722.680 canudos. Pesquisas mostram que mais de 95% do lixo nas praias brasileiras é de material plástico. E, assim como outros resíduos, todo esse material acaba invadindo o mar, prejudicando o habitat natural e a saúde dos animais que, com muita frequência, morrem por ingestão desse plástico descartado pelos humanos", afirmou, à época.

Já outro projeto em segundo turno na Câmara de BH e que também trata do meio ambiente da capital mineira é de autoria do vereador Irlan Melo (PL), que também será votado nesta segunda. O texto trata da implementação do programa Composta BH, com a ideia de se incentivar à prática de compostagem de resíduos orgânicos domésticos em domicílios, instituições públicas ou privadas e em condomínios residenciais. O PL, de número 774/19, será aprovado se tiver o voto da maioria dos presentes no plenário.


Postar comentário