Cientistas apontam China como responsável por emitir gás que destrói camada de ozônio

Gás CFC-11, inclusive, foi proibido depois de acordo do Protocolo de Montreal
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 27/05/2019

Pesquisadores do Reino Unido divulgaram, na última sexta-feira (24), o resultado de uma pesquisa sobre o aumento de uma substância danosa à camada de ozônio. O gás CFC-11 foi apontado como o responsável pelos buracos na camada.

Mesmo com a desaceleração da substância na atmosfera, o estudo, repercutido primeiramente pela Nature, notou uma nova produção (entre 40 e 60% da produção global) no Leste da China. O gás CFC-11 (tricloromonofluormetano) é um dos compostos químicos do clorofluorcarboneto (CFC), desenvolvido na década de 1930. Ele é utilizado, principalmente, em espumas para isolamento de residências.

Estudo aponta que a China produz entre 40 e 60% da escala global do gás CFC-11 (Foto: Domínio público)
Estudo aponta que a China produz entre 40 e 60% da escala global do gás CFC-11 (Foto: Domínio público)

O Protocolo de Montreal, realizado em 1987, tentou dar um basta na situação. No acordo, os países se comprometeram a reduzir a produção e a comercialização de substâncias consideradas danosas - entre elas os CFCs, incluindo o CFC-11. A produção em escala global deveria ter sido eliminada até 2010.

Segundo os estudos, a produção do CFC-11 é duplamente nociva: além de aumentar o buraco na camada que nos protege dos raios UV-B, ela contribuiu para o aquecimento global.

À BBC, as autoridades da China se defenderam e disseram que já começaram a coibir a produção, feita pelos chamados "fabricantes desonestos".


Postar comentário