Código Florestal: Agronegócio e ambientalistas promovem campanha para a conservação do meio ambiente

Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 28/05/2019

A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura lançou campanha em defesa do Código Florestal (Lei 12.651), que completou sete anos no último dia 25 de maio, mas vem enfrentando ameaças em função de algumas Medidas Provisórias (MPs) e Projetos de Lei (PLs) que tramitam no Congresso Nacional e podem alterar partes importantes da lei. Um dos pontos é a MP 867, que deve ser votada hoje pela Câmara, ou o PL 2.362/2019, que propõe revogar o capítulo referente à reserva legal obrigatória, parte da propriedade privada que deve ser preservada segundo a legislação.

Criado após anos de debate entre vários setores da sociedade, o Código Florestal é um dos principais pilares da Coalizão Brasil, movimento formado por representantes do agronegócio, setor florestal, setor financeiro, entidades de defesa do meio ambiente e academia. O movimento reuniu alguns de seus representantes para alertar sobre os riscos do desmonte do Código Florestal em um vídeo para conscientizar sobre a preservação. Os depoimentos serão enviados aos congressistas nesta terça e também divulgados nas redes sociais.

Para o diretor-executivo da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) e cofacilitador da Coalizão Brasil, Luiz Cornacchioni, “mexer no Código hoje é um retrocesso. A gente está no meio de um jogo, se a regra muda em termos mercadológicos, é um desastre. A gente vai mexer na reputação, vai mexer na imagem do país, o que não é bom para nós, do agro, nem para o país".

Já André Guimarães, diretor-executivo do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e cofacilitador da Coalizão Brasil, destaca que “o agronegócio brasileiro é profundamente dependente de chuva. Mais de 90% da nossa agricultura é não irrigada. Alterar o Código Florestal, reduzir as exigências de Reserva Legal, permitindo que essas florestas sejam desmatadas, é muito perigoso, porque você acaba promovendo mais desmatamento, fragmentando mais as áreas de fronteira e prejudicando o regime de chuvas e, consequentemente, a agricultura”.

“O Código é central. Resultou numa lei que traz segurança jurídica e conciliação para produtores e para a conservação ambiental”, afirma Guilherme Leal, cofundador e copresidente do Conselho de Administração da Natura & Co.

A quem interessa mexer em uma lei que foi construída e amplamente discutida ao longo dos anos?

Foto: Domínio Público
Foto: Domínio Público

Sobre a Coalizão Brasil

A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura é um movimento que envolve vários setores e se formou com a finalidade de propor ações e influenciar políticas públicas que levem ao desenvolvimento de uma economia de baixo carbono, criação de empregos de qualidade, estímulo à inovação, competitividade global do Brasil e geração e distribuição de riqueza a toda a sociedade.Para mais informações, acesse aqui!

Saiba mais:

6 motivos para dizer não à MP que altera o Código Florestal
Comissão aprova MP que altera Código Florestal


Postar comentário