Comissões da ALMG visitam Serra da Piedade hoje

Parlamentares irão se reunir com representantes da AVG Mineração para discutir a retomada da exploração mineral na região
Da Redação / redacao@revistaecologico.com.br
Mineração
Publicado em: 28/05/2019

Membros das Comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) visitarão a Serra da Piedade hoje (28/05), às 14h. Os parlamentares irão se reunir com representantes da AVG Mineração para discutir a retomada das atividades de extração minerária no local, que fica no município de Caeté, Região Metropolitana de BH.

Em fevereiro deste ano, a Câmara de Atividades Minerárias do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou o licenciamento ambiental do empreendimento e a decisão suscitou intervenções da ALMG, uma vez que a Serra da Piedade é Monumento Natural do estado e recebe mais de 500 mil visitantes por ano. A mineradora, inclusive, já recebeu autorização para realizar pesquisa e instalação das operações no entorno.

Santuário da Piedade, em Caeté. Foto: Guilherme Bergamini/ALMG.
Santuário da Piedade. Foto: Guilherme Bergamini/ALMG.

“Vamos nos reunir com os gestores da empresa a fim de apurar os impactos prováveis e as medidas a serem adotadas para resguardar o santuário e a qualidade de vida da população”, ressaltou a deputada Ana Paula Siqueira (Rede), que solicitou a visita junto com o deputado Ulysses Gomes (PT).

Os parlamentares questionaram os riscos da exploração de minério de ferro na área, inclusive em visita ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em 20 de março último. Segundo Ana Paula Siqueira, no encontro foram ouvidos representantes da Arquidiocese de Belo Horizonte e da comunidade. Eles defenderam a proibição sumária de qualquer tipo de extração no entorno, além de políticas públicas de incentivo ao turismo, como forma de superar a dependência de Minas em relação à mineração.

Saiba mais

Em 2005, a mineradora Brumafer teve suas operações na região suspensas, deixando um grande passivo ambiental. Desde 2012, a empresa AVG firmou um acordo com diversos órgãos estaduais, homologado pela Justiça, para recuperar o local atingido e explorar o minério disponível em função do trabalho de descomissionamento da estrutura existente, que envolve inclusive áreas adjacentes.


Postar comentário