Projeto CSul investe R$10 milhões em detalhamento hídrico da região da lagoa dos ingleses

Iniciativa é inédita em projetos de parcelamento do solo no estado e contribuirá para a segurança hídrica do vetor sul da região metropolitana
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Água
Publicado em: 08/10/2019

A CSul Desenvolvimento Urbano realiza, na região da Lagoa dos Ingleses, um estudo pioneiro que permitirá segurança e um profundo conhecimento das características hídricas subterrâneas da região. O “Projeto de Monitoramento e Pesquisa Hidrogeológica” é uma iniciativa inédita que contempla perfurações de quatro poços tubulares e oito poços de monitoramento, que permitirão a coleta de dados mais detalhados para a atualização das informações geológicas disponíveis e até a quantificação da disponibilidade hídrica subterrânea na região da Lagoa dos Ingleses.

A iniciativa vem sendo acompanhada pela SEMAD, Ministério Público Estadual e instituições de pesquisa que, juntamente com toda sociedade, terão amplo conhecimento dessas informações. Através dessa Pesquisa Hidrogeológica será possível aperfeiçoar estudos de simulação de cenários para o Projeto CSul, bem como para outros empreendimentos que desejarem se instalar na região do Vetor Sul da RMBH. Dessa forma, o órgão ambiental estadual terá maior segurança e confiabilidade dos dados a serem analisados nos processos de concessão de outorgas para uso dos recursos hídricos na região da Lagoa dos Ingleses.

O projeto segue cronograma pré-estabelecido com a SEMAD e a previsão é que os resultados sejam apresentados no primeiro semestre de 2020. A CSul está investindo cerca de R$ 10 milhões nessa pesquisa e é o primeiro empreendimento de parcelamento do solo em Minas Gerais a realizar um levantamento como esse, o que reafirma a sustentabilidade como eixo principal e norteador de suas ações.

Focada no desenvolvimento urbano planejado, a CSul contempla um índice de área verde por habitante sete vezes maior que o de Belo Horizonte: entre 92 e 129 m², contra apenas 18m² da capital. O projeto vem tramitando em conformidade com os ritos formais e administrativos que envolvem um processo de licenciamento ambiental. Este estudo ampliará o conhecimento sobre as águas subterrâneas, proporcionando ao Estado uma robusta base de dados para a gestão dos recursos hídricos e permitindo segurança hídrica nos processos de licenciamento ambiental de empreendimentos naquela região.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Abastecimento de Água

O sistema de abastecimento de água da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) é realizado pela COPASA através de captações superficiais, que integram sete grandes sistemas produtores: Rio das Velhas, Rio Manso, Serra Azul, Várzea das Flores, Morro Redondo, Ibirité e Catarina.

Já o projeto CSul, está inserido em uma região conhecida como Sinclinal Moeda, formação geológica rica em minério de ferro e historicamente explorada pelas grandes mineradoras. Essa região também é reconhecida por possuir um sistema com grandes volumes de água subterrânea, chamado de Aquífero Cauê. Ciente dessas condições e reafirmando o compromisso com a sustentabilidade de longo prazo o masterplan elaborado pela CSul contempla uma série de inovações para promover a conservação das águas, e ampliação dos atributos ambientais da região. O projeto permitirá a manutenção do terreno natural em mais de 60% do território e contará com sistemas de drenagem compensatória, garantindo altos índices de infiltração e retroalimentação dos reservatórios subterrâneos da região.

Importante ressaltar que a implantação de todo o projeto da CSul tem a perspectiva de ocorrer ao longo de 50 anos e sua ocupação completa ocorrerá em um horizonte temporal ainda maior, que não é possível prever com exatidão. Contudo, cada etapa está sendo cuidadosamente planejada, de forma que o desenvolvimento ocorra de forma equilibrada, gerando ganhos sociais, ambientais, econômicos e culturais.

Conforme o Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI-RMBH) realizado pelo Estado de Minas Gerais, em conjunto com universidades e a sociedade civil, o objetivo da centralidade sul é tornar-se um atrativo para as pessoas que já vivem ou viverão em outros locais da RMBH. Vale lembrar que essas pessoas já utilizam ou utilizarão água e recursos naturais da região metropolitana. O diferencial da CSul é disponibilizar para esses futuros moradores um local planejado, inclusivo e com toda a infraestrutura dimensionada previamente para atendê-los, promovendo uma ocupação ordenada e sustentável do território.


Postar comentário