Cuidado com pets deve ser redobrado no verão

Cuidado com pets deve ser redobrado no verão
PET
Publicado em: 22/01/2019

Durante o verão, cães e gatos sofrem com as temperaturas elevadas. É também nesta estação do ano que a ocorrência de doenças dermatológicas e alergias aumenta consideravelmente.

Portanto, alguns cuidados especiais precisam ser tomados para que o pet não sofra com o calor. Confira, a seguir, as orientações do médico-veterinário e gerente-técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado:

1.Alimentação

No verão, o metabolismo dos pets fica mais lento e eles gastam menos energia para o funcionamento do organismo. Logo, cães e gatos tendem a comer menos. Mas não é só isso: eles também optam pelas horas mais frescas do dia para se alimentar e o ideal é fornecer o alimento pela manhã ou à noite. Algumas pessoas, principalmente as que têm gatos, acreditam que o pet não está se alimentando, mas na verdade o gato come durante a madrugada, pois tem hábitos noturnos e também prefere horários com temperatura mais baixa.

É importante lembrar que, incentivar a alimentação não significa deixar a ração do pet disponível a todo o momento. O alimento exposto pode oxidar, por causa do calor e da umidade, e ficar rançoso.

2.Banho

Dê banhos nos cães de 15 em 15 dias. Apesar de refrescantes, banhos em excesso retiram a proteção natural da pele e expõem os animais a alergias, fungos e doenças dermatológicas, que são ainda mais frequentes nos períodos quentes.

Já os gatos fazem a auto higiene por meio de várias lambidas pelo corpo. O que pouca gente sabe é que, ao lamber-se, os gatos também regulam a temperatura corporal. O problema é que esse comportamento leva ao acúmulo de pelos no trato digestivo, causando as bolas de pelos. No calor, a dica é escovar mais o gato.

3.Hidratação

Cães e gatos precisam ter sempre água fresca. Os felinos precisam de mais atenção, pois, naturalmente ingerem menos água e são mais caprichosos. Manter as vasilhas limpas, colocar gelo na água e oferecer água corrente são dicas importantes para atrair o animal e incentivá-lo a tomar água.

4.Exposição ao sol

Assim como os humanos, os pets não podem ficar expostos durante os horários mais quentes do dia. O cuidado deve ser redobrado para animais de pelagem branca, clara ou sem pelos, pois, infelizmente, os raios ultravioletas também causam câncer de pele nos pets. Geralmente, a lesão ocorre nas áreas sem pelo, como barriga, ponta de orelhas, focinho e ao redor dos olhos.

Passear por um tempo prolongado e em horários mais quentes pode causar queimaduras sérias. O asfalto e calçadas quentes são vilões. Portanto, leve seu ‘amigo’ para passear em gramados e evite sair entre às 10h e 16h.


Postar comentário