Datafolha: 42% acham que governo agiu mal em relação ao óleo no litoral brasileiro

Pesquisa foi divulgada nessa segunda-feira (23), pelo jornal Folha de São Paulo
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 24/12/2019

Uma pesquisa divulgada pelo jornal Folha de São Paulo nessa segunda-feira (23), realizada pelo Datafolha, um instituto de pesquisas do Grupo Folha, mostra que a maior parte dos entrevistados entende que o Governo Federal agiu mal diante do óleo no litoral brasileiro. Segundo o levantamento, 42% dos entrevistados acham que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não souberam lidar com a crise.

A pesquisa Datafolha mostra os seguintes percentuais de avaliação sobre o desempenho do governo federal em relação ao vazamento:

Ruim/péssimo: 42%
Regular: 31%
Ótima/boa: 23%

O levantamento foi feito com 2.948 pessoas acima de 16 anos em 176 municípios brasileiros, entre os dias 5 e 6 de dezembro de 2019.

Óleo ainda não tem origem oficialmente conhecida (Foto: Adema/Governo de Sergipe)
Óleo ainda não tem origem oficialmente conhecida (Foto: Adema/Governo de Sergipe)

Na avaliação por gênero, 44% das mulheres acharam o desempenho do governo ruim ou péssimo para lidar com o desastre ambiental. Entre os homens, o percentual é de 39%. Veja abaixo:

Masculino

Ruim/péssimo: 39%
Regular: 32%
Ótima/boa: 26%

Feminino

Ruim/péssimo: 44%
Regular: 30%
Ótima/boa: 20%

No Nordeste, região mais atingida pelas manchas de óleo, a avaliação negativa é maior do que nas outras regiões. Veja, abaixo, os percentuais:

Nordeste

Ruim/péssimo: 50%
Regular: 29%
Ótima/boa: 16%

Centro-Oeste

Ruim/péssimo: 41%
Regular: 31%
Ótima/boa: 24%

Sudeste

Ruim/péssimo: 40%
Regular: 31%
Ótima/boa: 24%

Sul

Ruim/péssimo: 35%
Regular: 30%
Ótima/boa: 29%

Norte

Ruim/péssimo: 32%
Regular: 36%
Ótima/boa: 27%

A pesquisa ainda aferiu que 92% dos entrevistados tomaram conhecimento do desastre ambiental. Entre os que têm ensino superior, o percentual chega a 99%. As manchas de óleo que afetam o litoral do Nordeste e estados do Sudeste já atingiram 980 pontos desde o início da crise, no fim de agosto. É o que aponta o mais recente balanço do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), divulgado em 20 de dezembro.

Há registro de manchas de óleo nos nove estados do Nordeste Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe – e também no Espírito Santo e no Rio de Janeiro.


Postar comentário