Dia Mundial do Meio Ambiente: ONU alerta sobre poluição do ar

Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 05/06/2019

Para o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, as Nações Unidas estão destacando um problema crescente de saúde pública em todo o mundo: a poluição do ar, que agrava doenças e mortes precoces, mudanças climáticas e danos ambientais. Nessa data, a ONU lança a campanha Every Breath Matters, liderada por Tedros Adhanom, diretor geral da Organização Mundial de Saúde, Christiana Figueres, ex-secretária executiva da Convenção Quadro da ONU para Mudanças Climáticas, e Greta Thunberg, ativista que catalisou as greves climáticas em todo o mundo. Ela tem por base um vídeo de visualização de dados para destacar como o ar sujo afeta crianças em todo o mundo.

Ele começa com a história de Ella Kissi-Debrah, uma garota londrina que morreu em 2013, aos nove anos de idade, vítima de uma crise asmática, após 28 visitas a hospitais em três anos. Vinte e sete dessas visitas coincidiram com picos de poluição do ar. Em maio deste ano, a Suprema Corte do Reino Unido abriu um segundo inquérito sobre sua morte, o que poderia tornar Ella a primeira pessoa no mundo cuja causa da morte é explicitamente atribuída à poluição do ar.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, 7 milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por causa da poluição do ar. Isso é mais do que o triplo da quantidade de pessoas que irão morrer de malária, tuberculose e AIDS - combinadas. 93% das crianças no mundo vivem em áreas onde a poluição do ar excede as diretrizes da OMS. 600.000 crianças menores de 15 anos morreram de infecções do trato respiratório em 2016. Cerca de 543.000 tinham menos de cinco anos. A poluição do ar está ligada ao baixo peso ao nascer, mortes infantis, autismo e hiperatividade com déficit de atenção, obesidade infantil, desenvolvimento pulmonar deficiente, asma e câncer infantil - entre outros problemas de saúde. A poluição do ar ao ar livre, causada por veículos com motores a combustão, energia a carvão, incineração de resíduos e queima de culturas, foi responsável por 4,2 milhões de mortes prematuras em 2016, incluindo 300.000 crianças menores de cinco anos.

Esse tipo de poluição é causado pelo cozimento e aquecimento de combustíveis como carvão, madeira e querosene, responsável por 3,8 milhões de mortes prematuras, incluindo 400.000 com menos de cinco anos.Limpar o ar beneficia não só a saúde, como pode também ajudar significativamente a conter a mudança climática. Não fazer isso tornará mais difícil limitar o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius. É por isso que a poluição do ar estará no centro da Cúpula de Ação Climática do Secretário-Geral das Nações Unidas em setembro, a plataforma de lançamento da qual os governos devem fortalecer seus compromissos até 2050.

Dados da OMS: 7 milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por causa da poluição do ar. Foto: Domínio Público
Dados da OMS: 7 milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por causa da poluição do ar. Foto: Domínio Público

Ações de combate no Brasil

O Governo e a ONU Meio Ambiente irão promover um evento no dia 5 de junho para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente. Na ocasião, o ministro Ricardo Salles irá anunciar o Lançamento da Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade do Ar.

Em sinergia com a temática, o Programa ambiental da ONU se uniu à OPAS/OMS para lançar a Campanha Respire Vida no Brasil. O objetivo é mobilizar as cidades e indivíduos para proteger a nossa saúde e a saúde do planeta dos efeitos nocivos provocados pela contaminação do ar. A proposta reúne especialistas em saúde pública e meio ambiente para propor soluções de reparação da qualidade do ar, em apoio com os objetivos globais de desenvolvimento sustentável.

Como forma de colaborar com gestores municipais brasileiros nos primeiros passos para melhoria do ar, as duas agências da ONU lançarão, junto com o anúncio da Campanha, a publicação “16 medidas pela qualidade do ar nas cidades: um chamado pela saúde e pelo meio ambiente”.

#PedalAmbiental

Para que o Dia Mundial do Meio Ambiente possa gerar benefícios mútuos e de longo prazo, toda a sociedade precisa estar envolvida. Uma das ações centrais para sensibilizar e mobilizar a população é o #PedalAmbiental. Junto com a União de Ciclistas do Brasil (UCB), a ONU Meio Ambiente está chamando grupos de bikers a organizarem pedaladas em prol de um ar mais puro durante todos os dias da Semana do Meio Ambiente.

Mobilidade urbana

Aproximadamente 76% da população brasileira vive em cidades e a tendência de aumento da urbanização nas próximas décadas coloca a discussão sobre a mobilidade urbana como um dos pilares do desenvolvimento sustentável. Em parceria com a Associação Nacional de Empresas de Transportes Urbanos (NTU), a ONU está promovendo, durante todo o mês de junho, o “Deixe o carro em casa = Deixe a poluição em casa”. O objetivo é estimular, por meio de cartazes e banners em ônibus de todo o país, a reflexão sobre o que cada pessoa pode fazer para diminuir a poluição.

Ações de engajamento digital

Em 2019, um dos focos do Dia Mundial do Meio Ambiente são as atividades no ambiente digital. A ONU Meio Ambiente lançou um site em português com conteúdos informativos e uma área específica para governos, empresas e organizações registrarem seus eventos na Semana do Meio Ambiente.

O Programa também lançou o Desafio da Máscara, uma iniciativa que convida celebridades, influenciadores e usuários das principais redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter a postarem fotos e/ou vídeos cobrindo o rosto e a boca (máscara ou outras formas), em referência a soluções urgentes para a qualidade do nosso ar.


Postar comentário