Doação de 20 milhões de dólares do G7 para combate a queimadas na Amazônia é rejeitada pelo governo brasileiro

Ideia da oferta partiu do presidente da França, Emmanuel Macron
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 27/08/2019

A Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal informou, na noite dessa segunda-feira (26), que o Brasil rejeitou a doação de 20 milhões de dólares (cerca de R$ 87.6 milhões) do G7. A ideia da oferta partiu do presidente da França, Emmanuel Macron, e tinha como objetivo auxiliar no combate às queimadas na Amazônia.

Queimadas foram o centro de um bate-boca virtual entre Macron e Bolsonaro. Foto: Reprodução Agência Brasil / REUTERS / Bruno Kelly
Foto: Reprodução Agência Brasil / REUTERS / Bruno Kelly

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) trocou farpas com o chefe do Executivo francês na última semana. Macron disse que as queimadas na Floresta Amazônica deveriam ser abordadas no encontro das sete potências mundiais e considerou o fato como “crise internacional”.

As palavras não soaram bem ao governante brasileiro, que retrucou Macron. Bolsonaro disse que a França tentava responsabilizar o Brasil pela situação da Amazônia. Curioso é que, no início dessa segunda-feira, o ministro Meio Ambiente havia dito que uma ajuda seria bem-vinda para auxiliar no combate.

“Quem vai decidir como usar recursos para o Brasil é o povo brasileiro e o governo brasileiro. De qualquer forma, a ajuda é sempre bem-vinda”, disse Ricardo Salles, durante um evento promovido pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi), na capital paulista.

A situação da Amazônia virou um debate mundial depois da divulgação de dados que mostraram o aumento das queimadas (83%, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE) e do desmatamento (15%, segundo o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia - Imazon) na região da floresta brasileira.


Postar comentário