Espaço do Conhecimento lança calendário para crianças

Material com curiosidades sobre o universo pode ser baixado na internet
Astronomia
Publicado em: 07/12/2018

Não fossem os muitos dispositivos que nos suprem com informações sobre as horas ou ainda o mês em que estamos, teríamos de nos orientar de outra forma: olhando para o céu. O Sol, a Lua e as estrelas foram usados por muitas culturas para marcar a passagem do tempo e ordenar atividades importantes.

Hoje, no entanto, trocamos a observação dos fenômenos celestes por alguns cliques na tela do celular, o que seria impossível se a humanidade não tivesse recorrido à astronomia para criar os sistemas de contagem do tempo presentes nos calendários de smartphones.

O uso de calendários como forma orientação é tão antigo que muita gente não sabe que eles surgem justamente como espécie de interpretação daquilo que ocorre no firmamento. Se estabelecer essa associação no dia a dia já é difícil para os adultos, as novas gerações, que nasceram em um mundo conectado, refletem ainda menos sobre o elo entre os astros, as estrelas, os dias, meses e anos.

Simples e divertido

Estimular crianças a resgatarem essa conexão foi a proposta do Núcleo de Astronomia do Espaço do Conhecimento da UFMG, ao criar o Calendário astronômico: de solstício a solstício. Com o objeto em mãos, observar o céu e entender o que acontece por lá será muito mais simples e divertido. Além de trazer os fenômenos observáveis a olho nu, cada página propõe atividades e reflexões sobre o universo que nos cerca.

O 12º mês do ano é o momento de se livrar da última página do calendário. Para a astronomia, no entanto, trata-se do início de um novo ciclo: o dia mais iluminado do ano marca a chegada de uma nova estação. Por essa razão, o solstício de verão, no dia 21 de dezembro, foi escolhido como ponto de partida.

Para Nathalia Fonseca, astrofísica do Espaço e uma das idealizadoras do projeto, explica que o fenômeno é um marco importante: “Se a gente se orientasse pelo céu, saberíamos que, em dezembro, o sol se desloca e chega ao seu ponto máximo e, a partir daí, começa a retornar. É uma ótima ferramenta para marcar a periodicidade", destaca.

Além de estar disponível no site do Espaço do Conhecimento, o calendário astronômico foi distribuído para alunos e professores de escolas públicas e privadas, docentes e alunos da UFMG e também para visitantes do local, bem como para instituições que integram o Circuito Liberdade e outras relacionadas à astronomia.

Mais curiosidade

Fernanda Carneiro, professora de Ciências em Justinópolis, distrito de Ribeirão das Neves, acredita que o material vai instigar a curiosidade dos alunos, em especial os do 6º ano do ensino fundamental. “Os meninos têm muita curiosidade sobre o universo, mas pouca informação. O calendário vai ajudá-los a olhar o céu e entender as fases da Lua.”

Em visita ao Espaço com seus alunos, Fernanda falou da importância de deixar o giz e o quadro negro de lado em alguns momentos para que as crianças aprendam os conceitos na prática. “Elas ficam deslumbradas com tudo aquilo que é diferente, que vai além do livro didático. Em sala de aula, o calendário terá a missão de fazer com que o céu, mesmo tão distante, esteja ao alcance das mãos.”

Fonte: UFMG


Postar comentário