Exploração de lítio leva comissão de deputados ao Vale do Jequitinhonha

Objetivo é discutir utilização sustentável das reservas
Da redação* - redacao@souecologico.com
Mineração em Debate
Publicado em: 09/08/2019

A exploração sustentável do lítio e como tirar o maior proveito dos seus benefícios para o Vale do Jequitinhonha serão discutidos na Assembleia dos Prefeitos da região nesta sexta-feira (09/08). A Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais vai participar do evento, a requerimento do seu presidente, deputado Repórter Rafael Martins (PSD).

“É de fundamental importância a participação da ALMG na reunião. A exploração sustentável é importante porque traz desenvolvimento com responsabilidade”, destaca o parlamentar.

Em 2017, foram descobertas novas reservas de lítio no Vale do Jequitinhonha, uma das regiões mais pobres do Estado. Em junho deste ano, a mineradora Sigma anunciou investimentos de R$ 500 milhões em uma unidade que será construída no município de Itinga para a exploração do mineral, apelidado de petróleo branco, muito utilizado na bateria de veículos elétricos.

Itinga concentra a maior parte das reservas de lítio no Vale do Jequitinhonha - Foto: Ricardo Barbosa/ALMG
Itinga concentra a maior parte das reservas de lítio no Vale do Jequitinhonha - Foto: Ricardo Barbosa/ALMG

Crescimento econômico. Além da geração de cerca de 500 empregos diretos, os prefeitos de Itinga e da vizinha Araçuaí, onde também há jazidas de lítio, contam com a arrecadação de aproximadamente R$ 265 milhões com a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem), nos primeiros 14 anos de atuação da nova planta.

A unidade deverá começar a operar em setembro de 2020, com a exploração de 220 mil toneladas de óxido de lítio por ano.

Risco ambiental. Ambientalistas alertam, no entanto, que a exploração predatória do mineral pode produzir muitos poluentes e degradar o meio ambiente. Um dos maiores temores é o despejo de efluentes sem tratamento adequado no ribeirão Piauí.

* Com informações da ALMG.


Postar comentário