Para evitar contato com óleo, filhotes de tartaruga são soltos em alto mar

Ação foi organizada pelo Projeto Tamar, que trabalha há 39 anos na conservação marinha
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 16/10/2019

Uma ação organizada pelo Projeto Tamar, que trabalha há 39 anos na conservação da vida marinha, na tarde dessa terça-feira (15), evitou o contato de tartarugas com o óleo derramado nas praias do Nordeste brasileiro. A organização soltou 1.358 filhotes da espécie no litoral do Sergipe em alto mar.

Esta foi a segunda vez que o projeto realizou tal ação para proteger os animais do óleo, prejudicial à vida marinha. A primeira aconteceu na última quinta-feira (10), quando mil filhotes foram “libertos”.

Desde 24 de setembro deste ano, o litoral do Nordeste sofre com um derramamento de óleo. O material ainda não tem origem conhecida pelas autoridades.

Projeto Tamar trabalha na proteção das tartarugas marinhas há 39 anos (Foto: ICMBio/SE)
Projeto Tamar trabalha na proteção das tartarugas marinhas há 39 anos (Foto: ICMBio/SE)

A força-tarefa da limpeza que trabalha no local estima que o volume do óleo seja de mais de 200 toneladas. O estado da Bahia e do Sergipe estão em situação de emergência para conter as manchas de óleo que se alastram pelo litoral nordestino.

Os municípios desses estados afetados pelo derramamento de óleo podem remover famílias de áreas de risco, financiar o recolhimento de material contaminado, solicitar kits de assistência humanitária (cestas básicas, água potável, kits dormitório e outros) e recuperar áreas de infraestrutura afetadas pelo vazamento.

A Agência Nacional de Águas (ANA), o ministério do Meio Ambiente, o ministério de Minas e Energia, o ministério da Defesa e os três comandos militares (Marinha, Comando da Aeronáutica e Exército) monitoram a amplitude do vazamento.


Postar comentário