Funcionários da Vale confirmam que souberam de vazamento antes de tragédia

Declaração foi dada na ALMG, em audiência da CPI da Barragem de Brumadinho
Da Redação* - redacao@souecologico.com
Mineração
Publicado em: 19/07/2019

A CPI da Barragem de Brumadinho realizou mais uma audiência nessa quinta-feira para ouvir cinco funcionários da mineradora Vale. Os parlamentares queriam confirmar a informação de que um vazamento teria ocorrido na barragem da Mina Córrego do Feijão antes do rompimento da estrutura, ocorrido em 25 de janeiro deste ano.

Sidmar Moreira, Vagner Zacarias, Renato Figueiredo, Marco Aurélio Amorim e Rodrigo Moreira relataram, conforme informações da Assembleia Legislativa, que, meses antes do rompimento da barragem que matou 270 pessoas, eles souberam de vazamentos no local.

Foto: Flavia Bernardo  / ALMG

Eles também foram perguntados sobre treinamentos para casos de emergência. Enquanto Sidmar Moreira disse não ter participado de nenhuma atividade desse tipo em seus 17 anos de trabalho na empresa, embora soubesse que aconteceram simulações em alguns momentos, os demais contaram já ter participado.

Vagner Zacarias disse, por exemplo, que trabalhava na parte de cima da barragem, local com a menor rota de fuga disponível, e que levou cinco minutos na simulação para atingir o ponto considerado salvo.

Já Renato Figueiredo, que fez o treinamento a partir da parte mais baixa, estimou em dez minutos o tempo utilizado para evacuar o local. Em reunião anterior da CPI, constatou-se que o tempo previsto para a lama chegar ao refeitório da Vale em um então hipotético rompimento era de apenas um minuto.

Presença de advogado. Durante a reunião de ontem, o advogado Alaor Castro esteve presente para acompanhar os depoimentos na posição de defensor das testemunhas. Mas, perguntados se haviam solicitado assistência jurídica à Vale, os depoentes negaram.

Para o deputado Sargento Rodrigues (PTB), a situação pareceu ter sido criada para que os advogados possam melhor proteger os funcionários hierarquicamente superiores da mineradora. A Vale informou que oferece assessoria jurídica aos funcionários por se tratar de uma investigação sobre fatos que ocorreram no exercício profissional deles. E que eles têm autonomia para aceitar ou não o apoio jurídico.

Foto: Flavia Bernardo / ALMG

*Com informações da ALMG


Postar comentário