Governo reduz participação da sociedade civil do Conama

Sociedade civil será representada por “quatro representantes de entidades ambientalistas de âmbito nacional”
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 30/05/2019

O presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto, na última terça-feira (28), alterando a constituição do Conselho Nacional do Meio Ambiente, o Conama. O conselho foi reduzido de 92 membros para 22, nove dos quais do governo federal (41%). A sociedade civil será representada por “quatro representantes de entidades ambientalistas de âmbito nacional” e “dois representantes indicados (por) entidades empresariais”.

Divulgação/Ministério do Meio Ambiente
Divulgação/Ministério do Meio Ambiente

Perderam lugar no Conselho representações indígenas, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente, que reúne os secretários municipais de meio ambiente, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Agência Nacional de Águas (ANA) e muitas outras entidades e organizações que têm tudo a ver com a agenda ambiental.

Para Carlos Bocuhy, presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), a “medida é para destruir a representação da sociedade civil. Essa parece ser a intenção do governo”. Ele disse, também, que enviará para a procuradora geral da república, Raquel Dodge, uma representação contra o decreto assinada por mais de 30 entidades.

Fonte: ClimaInfo


Postar comentário