Grafiteiros em ação pela Amazônia

Grafiteiros em ação pela Amazônia
Preservação
Publicado em: 29/11/2018

Uma ação que usa a arte como forma de incentivar a reflexão e o engajamento para a conservação da Amazônia tem movimentado o Beco do Batman, na Vila Madalena, em São Paulo.

O espaço é referência para o grafite paulistano há mais de 30 anos. E foi escolhido por três artistas de rua brasileiros registraram sua paixão pela Amazônia. Binho Ribeiro, Rafa Mon e Sebá Tapajós, sob a produção de Luan Cardoso, fizeram a pintura na última semana e ela ficará exposta até fevereiro de 2019.

A ação acontece no mesmo momento em que o governo federal divulgou, no último dia 23/11, o maior aumento do desmatamento da Amazônia nos últimos dez anos. Registrado pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), o desmatamento do bioma cresceu 13,7%, entre agosto de 2017 e julho de 2018, se comparado ao mesmo período do ano anterior. No total, foram suprimidos 7.900 km2 de floresta amazônica, o que equivale a mais de cinco vezes a área da cidade de São Paulo.

A ideia do grafite surgiu em um diálogo entre WWF-Brasil e um grupo de artistas e influenciadores digitais, a partir do conceito “A Amazônia que inspira precisa respirar”, durante as celebrações do Dia da Amazônia (5/9) deste ano.

Formas e cores

A pintura lembra a Amazônia em suas cores e formas, com destaque para a ilustração de um grande coração-árvore ao centro, que pulsa e bombeia vida para rios, florestas, espécies e comunidades.

“Como trazer a floresta e os rios para as grandes cidades, dentro e fora da própria Amazônia? Todos nós, de alguma maneira, estamos conectados à Amazônia, nos inspiramos nela e dependemos dela”, afirma Gabriela Yamaguchi, diretora de Engajamento do WWF-Brasil. Segundo ela, o objetivo é evidenciar a conexão entre as cidades e os ambientes naturais. “Proteger a maior floresta tropical contínua e a maior bacia de água doce do mundo é proteger a vida; é também proteger a todos nós.”

Para a artista Rafa Mon, participar da ação é trazer a floresta para a cidade, para o dia-a-dia e entender que ela está presente em todos os momentos da vida das pessoas. “A Amazônia é esse lugar magnífico, fonte de vida, e que está desaparecendo aos poucos, a olhos nus e sem o menor pudor. Por que esse santuário sagrado nos parece algo mítico, intocável e eterno? O ambiente urbano nos cega e nos faz acreditar que a floresta jamais vai nos faltar, mas as estatísticas são alarmantes, e se não pararmos para olhar e cuidar dela, rapidamente ela vai desaparecer e as consequências serão drásticas”, avalia.

Generosa e farta

Sebá Tapajós inspira-se na Amazônia diariamente e reflete isso no grafite. “A ideia é mostrar que esse coração que pulsa cor e inspiração também clama por liberdade. E se conecta à biodiversidade de maneira generosa e farta, mas pedindo consciência, respeito e amor à Amazônia.”

A pintura é acompanhada das hashtags #SomosAmazônia, #VivaAmazôniaViva e #WWFBrasil para que as pessoas se informem e entendam de que forma podem contribuir para a conservação da Amazônia.

Para saber mais, acesse: www.somosamazonia.wwf.org.br

Fonte: WWF


Postar comentário