Grande chuva de meteoros poderá ser vista esta semana

Fenômeno é o último previsto para 2018
Da Redação / Ecológico - redacao@revistaecologico.com.br
Astronomia
Publicado em: 11/12/2018

A última grande chuva de meteoros visível de 2018, chamada de Geminids, poderá ser vista esta semana. De acordo com os astrônomos, seu pico deve ocorrer na madrugada do dia 14/12. A previsão é que ela possa ser vista do Brasil a partir das duas ou três horas da madrugada (horário de Brasília).

O período do ano é considerado favorável para a observação. Isso porque a luz da Lua não vai interferir. Neste dia, nosso satélite natural estará na fase crescente e irá se pôr antes da visibilidade dos Geminids.

As chuvas de meteoros não representam riscos para a Terra. Elas acontecem em praticamente todos os meses, algumas com mais intensidade e ampla visibilidade. Popularmente chamados de “estrelas cadentes”, os riscos luminosos no céu provocados pelos meteoros são fascinantes.

Papo de astrônomo

Ainda hoje há uma discussão se o corpo que dá origem à chuva é um cometa dormente ou um asteroide. Este último é um corpo rochoso composto por minerais e metais que orbita no Sistema Solar. O cometa, por sua vez, é uma bola de poeira e gelo que, embora também contenha rocha em sua composição, se forma em regiões externas do Sistema Solar.

O astrônomo Marcelo De Cicco, doutorando do Observatório Nacional, explica que “essa chuva, provavelmente tem origem asteroidal, o que não costuma ser frequente – normalmente as chuvas são associadas a cometas”.

Dicas de observação

O último fenômeno de 2018 vai ser mais facilmente observado no Hemisfério Norte, mas, mesmo no Brasil, será possível acompanhá-lo. A questão é que, por aqui, veremos menos riscos no céu.

Se você se interessou, preste atenção a algumas dicas. A melhor forma de observar a chuva de meteoros é procurar um local seguro e bem escuro, providenciando conforto para passar a madrugada, um bom agasalho, lanterna, e olhar para o céu.

Os astrônomos orientam que:

  1. É muito importante conhecer sua posição, de início você precisa direcionar-se ao leste;
  2. Elevando seu olhar você encontrará logo acima uma estrela brilhante, de magnitude -1,46, chamada Sirius, da constelação Cão Maior;
  3. Observando a sua esquerda você encontrará as famosas três Marias (da esquerda para direita), Mintaka, Alnilam e Alnitak, da constelação Órion.
  4. A partir das três Marias olhe próximo ao horizonte nas estrelas Castor e Pollux da constelação Gêmeos. O radiante está localizando ao lado esquerdo da estrela Castor.

* Com informações da EXOSS Citizen Science Project


Postar comentário