“Histórias da Grande Reserva Mata Atlântica” estreia segunda temporada

Com dez episódios, webserie traz personagens marcantes, espécies raras e iniciativas que fazem do bioma um verdadeiro patrimônio natural e cultural
Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 30/09/2019

Está no ar o primeiro episódio da segunda temporada da websérie Histórias da Grande Reserva Mata Atlântica no canal do YouTube e também na página do Facebook da iniciativa. Ao todo, serão dez episódios lançados semanalmente aos domingos. Com duração entre 5 e 10 minutos, cada vídeo tem como objetivo promover o interesse local, nacional e internacional do bioma e divulgar a rica história natural e cultural da região.

A iniciativa se baseia no conceito de “Produção de Natureza”. O trabalho tem como objetivo valorizar as ações de conservação que geram oportunidades para o desenvolvimento da região, onde áreas naturais bem conservadas, a biodiversidade e a cultura local são meios para novos empreendimentos, geração de emprego e renda para a população.

O responsável técnico da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), Ricardo Aguiar Borges, explica que essa área abrange o último grande remanescente contínuo do bioma, com quase 2 milhões de hectares bem conservados. “É uma grande área produtiva que nos protege contra as mudanças climáticas e garante nossa segurança econômica, saúde e bem-estar”.

Nesta temporada, a fauna é o tema do primeiro episódio e tem como personagem principal a onça-pintada. Atualmente classificada como “vulnerável” pelo Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção de 2018, elaborado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o felino conta com registros recentes na região da Serra do Mar paulista e paranaense, o que indica o bom estado de conservação desse local.

Foto: Samanta Carvalho

Também serão contadas histórias como do Henrique Paulo Schmidlin, conhecido como Vitamina, que é um dos precursores do montanhismo paranaense e praticante ativo até hoje, e de empreendimentos como a Cave Colinas de Pedra. Além disso, unidades de conservação como o Legado das Águas, a Estação Ecológica de Jureia-Itatins e o Parque Estadual da Ilha do Cardoso, enriquecem ainda mais a série.

A primeira temporada, lançada no início do ano, produziu dez episódios e atingiu uma marca de mais de 155 mil visualizações e aproximadamente 500 mil interações, apenas no Facebook.


Postar comentário