Inclinação e vazamento de óleo de navio com trincas estão estáveis

Caso aconteceu na Bacia de Campos, a 130 quilômetros da costa
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 30/08/2019

O navio-plataforma FPSO Cidade do Rio de Janeiro apresenta trincas no casco desde a última sexta-feira (23), no Campo de Espadarte, Bacia de Campos, a 130 quilômetros da costa.

A empresa japonesa Modec, responsável pelo navio, informou que a equipe preparada para fornecer os meios e estruturas adequadas de assistência, socorro e medidas antipoluição esteve nessa quinta-feira (29) na embarcação para preparar a retirada e remoção do navio para um estaleiro na costa.

Divulgação/Modec
Divulgação/Modec

“Os danos à lateral do navio não progrediram e permaneceram estáveis em comparação com a última análise, ainda confinados a um único tanque. As condições de calado e inclinação da embarcação também permanecem estáveis. A mancha de óleo no mar detectada no sobrevoo desta quinta-feira(29) foi reduzida. Embarcações continuam trabalhando na limpeza e na dispersão do produto”, explicou a Modec, em nota.

De acordo com a empresa, “a plataforma Cidade do Rio de Janeiro contém aproximadamente 450 metros cúbicos de óleo diesel e 169 metros cúbicos de borra oleosa, ambos estocados em tanques não afetados pelos danos. Para efeitos de comparação, a capacidade total de armazenamento do navio é de cerca de 250 mil metros cúbicos”.

A equipe embarcada trabalha também num plano para redução de forma segura dos produtos armazenados no navio.

Fonte: Agência Brasil


Postar comentário