Grandes investidores institucionais pedem ao Brasil a proteção da Amazônia

“É com muita preocupação que acompanhamos a crescente crise do desmatamento e dos incêndios florestais no Brasil e na Bolívia", diz o início da nota
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 19/09/2019

Em comunicado conjunto, 230 fundos de investimento que juntos administram US$ 16 trilhões (R$ 65 trilhões ou 10 vezes o PIB do Brasil), pediram ao Brasil que adote medidas eficazes para proteger a Floresta Amazônica contra o desmatamento e as queimadas.

Diz nota: “É com muita preocupação que acompanhamos a crescente crise do desmatamento e dos incêndios florestais no Brasil e na Bolívia […] Estamos preocupados com o impacto financeiro que o desmatamento pode ter sobre as empresas investidas, aumentando potencialmente os riscos de reputação, operacionais e regulatórios. Considerando o aumento das taxas de desmatamento e os recentes incêndios na Amazônia, estamos preocupados com o fato das empresas expostas a desmatamento potencial em suas operações e cadeias de suprimentos brasileiras enfrentarem uma dificuldade crescente para acessar os mercados internacionais […] Como investidores, que têm o dever fiduciário de agir no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais desempenham no combate às mudanças climáticas, na proteção da biodiversidade e na manutenção dos serviços ecossistêmicos”.

Divulgação/WWF-Brasil
Divulgação/WWF-Brasil

Um dos signatários, Erik Saugestad, da Storebrand Asset Management, disse que “a discussão sobre as mudanças climáticas ficou concentrada no setor da energia por tempo demais. É urgente nos concentrarmos mais na gestão eficaz das cadeias de abastecimento da agropecuária. O desmatamento e a perda de biodiversidade não são apenas problemas ambientais. Há efeitos econômicos negativos expressivos associados a estas questões e representam um risco que nós, enquanto investidores, não podemos ignorar.

Fonte: Climainfo


Postar comentário