Joaninhas vão combater pragas urbanas em BH

Biofábrica instalada no Parque das Mangabeiras já iniciou a produção de insetos em laboratório

Educação Ambiental
Publicado em: 28/11/2018

As joaninhas e crisopídeos são insetos que podem combater, de forma natural, populações de organismos indesejáveis em hortas e arborizações. E foi pensando nesse controle de pragas urbanas que a Prefeitura de Belo Horizonte criou uma biofábrica. O local, que começou a produzir os insetos em outubro, está instalado na Casa Amarela, no Parque das Mangabeiras, na região Centro-Sul da capital mineira.

O projeto foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e tem como objetivo a produção em massa desses organismos. De acordo com o gerente de Ações para Sustentabilidade da SMMA e doutor em entomologia, Dany Silvio Amaral, os insetos estão sendo criados em laboratório, com dieta e temperatura controladas.

“A biofábrica conta com três servidores da SMMA e, atualmente, a criação está em processo de consolidação, com o aumento da população. Espera-se que em um futuro próximo possam ser iniciadas as libertações e doações de kits com joaninhas e crisopídeos”, explicou Amaral.

As primeiras joaninhas foram coletadas no Centro de Vivência Agroecológica Capitão Eduardo (Cevae), na região Nordeste, e levadas para reprodução. “Ainda estamos fazendo capturas de joaninhas adultas pela cidade e levando para a biofábrica. A maioria tem sido capturada no Centro de Vivência Agroecológica, que tem boa estrutura de hortas e muitos insetos”, completou o gerente.

Já os crisopídeos, popularmente conhecido como “bicho-lixeiro”, foram obtidos por doação de ovos de uma criação do Laboratório de Entomologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Embrapa), em Viçosa. Os insetos são alimentados e colocados para acasalar. Em seguida, os ovos e larvas são cuidados para completar seu ciclo até atingir a fase adulta.

Inspiração francesa

O secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck, informou que uma das estratégias de sustentabilidade de BH é a recuperação de serviços do próprio ecossistema nos ambientes urbanos, com inúmeros benefícios: produção de alimentos, matérias-primas, renovação de recursos hídricos, beleza cênica, redução de poluição, entre outros.

“Estamos nos espelhando na experiência implantada em Paris, onde a iniciativa gerou excelente resultado. Lá, eles distribuíram as larvas de joaninha para acabar com os pulgões e outros insetos que danificam jardins públicos. Paris é uma cidade que não usa pesticida nos logradouros públicos há anos. É uma referência de políticas ambientais de sucesso”, ressalta.

Fonte: PBH