Legislativo debaterá a preservação da Serra do Brigadeiro, na Zona da Mata

Região da Serra do Brigadeiro é cobiçada por mineradoras para aumentar a exploração do composto
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 23/10/2019

Nesta quarta-feira (23), às 15h, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais debaterá os impactos ambientais, sociais e econômicos das atividades minerárias realizadas no entorno do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro e as violações de direitos humanos dos atingidos pela mineração na região.

A Audiência Pública, realizada pela Comissão de Direitos Humanos, por requerimento da deputada Beatriz Cerqueira, vai debater com a comunidade e autoridades os impactos da exploração de uma das maiores jazidas de bauxita do país - substância que se transforma em alumínio após ser refinada.

Desde a década de 1950, a região da Serra do Brigadeiro é cobiçada por mineradoras para aumentar a exploração do composto. Se forem aprovadas as licenças solicitadas para ampliar a mineração, a exploração atingirá três Áreas de Proteção Ambiental que ficam em Muriaé, Rosário de Limeira e São Sebastião da Vargem Alegre. A audiência debaterá os impactos da mineração nas três APAs, incluindo os prejuízos para as comunidades que vivem da agricultura familiar.

Evandro Rodney/Impensa MG
Evandro Rodney/Impensa MG

Em Muriaé, mais de 10 mil hectares de mata e 2 mil nascentes vêm sendo preservados da mineração por força da mobilização da comunidade. A população conseguiu a aprovação do Projeto de Lei 192, que nomeia a área como “Patrimônio Hídrico do Município de Muriaé” , visando a proteção do patrimônio hídrico e do meio ambiente.

O Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM) destaca que no pequeno distrito de Belisário, existem mais de 2 mil nascentes já cadastradas, que abastecem Muriaé e cidades vizinhas.

Fonte: Assembleia Legislativa de Minas Gerais


Postar comentário