Levantamento aponta corporações que alimentam incêndios amazônicos

Matéria tem, ainda, uma descrição dos processos da cadeia da soja e da carne
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 02/09/2019

Os jornalistas Glenn Hurowitz, Mat Jacobson, Etelle Higonnet e Lucia von Reusner apontam os dedos, na Mighty Earth, para as grandes empresas que, comprando soja e carne na região amazônica, estão por trás do desmatamento e dos incêndios amazônicos.

Divulgação/Seplag
Divulgação/Seplag

Os autores montaram dois mapas, um sobrepondo os incêndios com os abatedouros, e outro sobrepondo os entrepostos das grandes tradings com as estradas que cortam a região. A coincidência não é mera semelhança.

Escrevem os autores que “o incentivo para a destruição vem das grandes empresas internacionais de alimentação animal de carne e soja, como a JBS e a Cargill, e das marcas globais como Stop & Shop, Costco, McDonald’s, Walmart/Asda e Sysco, que compram delas e vendem para o público. São essas empresas que estão criando a demanda internacional que financia os incêndios e o desmatamento.”

A matéria tem, ainda, uma descrição dos processos da cadeia da soja e da carne e uma apresentação das principais empresas envolvidas nestas cadeias.

E uma investigação do Repórter Brasil mostra como funciona a cadeia da carne, principalmente na Amazônia, onde produtores autuados por desmatamento e outros crimes ambientais, conseguem vender seus animais para os grandes processadores JBS, Frigol e Marfrig. A matéria é preciosa por desmascarar os compromissos declarados por essas empresas, que dizem só trabalhar com produtores em conformidade com a lei.

Fonte: Climainfo


Postar comentário