Londres implanta pedágio para reduzir poluição do ar

Tarifa pretende reduzir circulação de veículos poluentes
Da Redação / Ecológico - redacao@revistaecologico.com.br
Políticas públicas
Publicado em: 09/04/2019

Nem os icônicos ônibus vermelhos estão livres para transitar pelo centro de Londres sem seguir os padrões da ULEZ, London Ultra Low Emission Zone. A sigla delimita uma área onde os veículos terão de atender, independentemente de horário ou dia da semana, rígidos padrões de emissões de gases poluentes ou pagar taxas elevadas.

O controle deve atingir cerca de 40 mil veículos. A meta é reduzir a poluição do ar e, com isso, minimizar o impacto sobre a saúde dos moradores. Em comunicado à imprensa, o prefeito Sadiq Khan disse que o “ar tóxico é um assassino invisível responsável por uma das maiores emergências nacionais de saúde de nossa geração”.

Como funciona?

Para circular no perímetro delimitado pela prefeitura londrina, desde essa segunda-feira (08), os veículos poluentes de pequeno e médio porte precisam pagar aproximadamente 63 reais (12,5 libras) por dia, enquanto motoristas de ônibus e caminhos mais pesados devem desembolsar cerca de 500 reais (100 libras). A multa para quem for flagrado descumprindo a regra passa dos 800 reais (160 libras).

Foto: Philipp Reiner/Pixabay
Foto: Philipp Reiner/Pixabay

Para ter o ar mais limpo, Londres não vai abrir mão de um dos seus símbolos. O gabinete do prefeito confirmou que a frota dos ônibus vermelhos, com mais de nove mil veículos, será adaptada. Para atingir ou superar o padrão da ULEZ, toda ela será atualizada até outubro do ano que vem.

Saiba mais:

Desde 2003, Londres busca a redução do número de veículos no centro da cidade. Além de investir em transportes públicos e estimular o uso de bicicleta, a prefeitura iniciou naquele ano a cobrança de pedágio para qualquer carro que trafega nas áreas mais congestionadas.

Em 2017, foi implantada, também no centro de Londres, a T-charge, uma taxa extra para veículos altamente poluentes. O controle é feito de forma eletrônica, por câmeras instaladas em centenas de pontos estratégicos.


Postar comentário