Malacacheta terá biblioteca comunitária e programa de educação ambiental

Iniciativas na cidade norte-mineira integram ações do projeto Nascentes do Mucuri
Educação Ambiental
Publicado em: 17/09/2018

O Instituto Ecofuturo, em parceria com a Suzano Papel e Celulose, vão instalar uma biblioteca comunitária em Malacacheta (MG). O acordo de cooperação já foi assinado com a Prefeitura, que apoiará a iniciativa.

A previsão é que o novo espalho seja inaugurado no primeiro semestre de 2019, como parte das ações do projeto Nascentes do Mucuri, idealizado pela Suzano e desenvolvido com apoio de vários parceiros. Seu objetivo é promover a restauração das nascentes do rio e o desenvolvimento local.

Além da biblioteca, o Ecofuturo vai desenvolver, também com apoio do poder público e com investimento da companhia, um programa de educação ambiental voltado para professores da cidade. Com a biblioteca, o instituto espera fortalecer políticas públicas de leitura e de instalação de novos espaços dessa natureza, democratizando o acesso aos livros e incentivando a formação de leitores.

A unidade será financiada pela Suzano. A Prefeitura será responsável por ceder o local/imóvel, manter o espaço depois de inaugurado e contratar os funcionários que atuarão na biblioteca.

O projeto conta com a participação da sociedade ao longo de todo seu desenvolvimento. Desde o início, é feita uma mobilização dos moradores da região onde a biblioteca será implantada para acompanhamento, sugestões sobre o processo e composição de parte do acervo. Um encontro é promovido para que a comunidade conheça o projeto e eleja um representante que acompanhará todas as etapas.

Outra fase da implantação é a formação de cerca de 30 educadores e pessoas da comunidade em cursos de auxiliar de biblioteca e promotor de leitura. Além da realização de uma oficina de educação ambiental, que visa valorizar o ambiente natural como espaço educador. Dois dos participantes serão funcionários da nova biblioteca.

A unidade receberá 1.000 livros novos de literatura, dois computadores, impressora, software para gestão da biblioteca, equipamento eletrônicos, além do mobiliário necessário para compor o espaço. Dos livros, 70% são selecionados por especialistas da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), executora técnica do projeto, e 30% são escolhidos posteriormente, conforme as necessidades e interesses da comunidade.

Atualmente, há 110 bibliotecas comunitárias Ecofuturo distribuídas em 12 estados. Segundo pesquisa de impactos desenvolvida pela consultoria Metas Sociais, divulgada este ano, os municípios que receberam bibliotecas da rede apresentaram melhora nos índices educacionais, como aumento médio de 7,8% no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Ensino Fundamental II, em comparação com cidades de mesmo porte, mas que não têm bibliotecas do projeto.

O estudo apontou também uma elevação de 4,2% na taxa de aprovação dos alunos do Ensino Fundamental II, e de 3,4% no Ensino Fundamental I. Verificou-se ainda uma relação positiva entre a presença das bibliotecas e uma maior participação das famílias na vida escolar dos estudantes.


Postar comentário