Mato Grosso: 88% do desmatamento é ilegal e se concentra em grandes propriedades

Desmatamento do Cerrado e da Amazônia no estado, o total de 2019 chegou a 2.560 km2, um aumento de 10% em relação a 2018
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 11/02/2020

De agosto de 2018 a julho de 2019, o desmatamento mapeado pelo INPE no Cerrado foi de 6,4 mil km2, equivalentes a quatro vezes o território da cidade de São Paulo.

O Mato Grosso foi o 3º estado que mais destruiu, sendo responsável por 14% de todo o desmatamento detectado, do qual 88% feito de forma ilegal e concentrado em latifúndios.

Somados, o desmatamento do Cerrado e da Amazônia no estado, o total de 2019 chegou a 2.560 km2, um aumento de 10% em relação a 2018. “Esse cenário mantém o Mato Grosso distante de cumprir o compromisso internacional assumido durante a Conferência do Clima em Paris, em 2015”, diz o relatório da ONG divulgado no início de fevereiro. Na ocasião, o governo estadual se comprometeu a diminuir o desmatamento nesse bioma e atingir 150 quilômetros quadrados ao ano até 2030.

Reprodução/Climainfo
Reprodução/Climainfo

O principal motivo do desmatamento alto, de acordo com o ICV, é o elevado grau de ilegalidade: no período apurado, 88% do desmatamento no Cerrado mato-grossense foi ilegal, uma queda em relação ao período anterior, de 95%, mas ainda um número alto. Em alguns municípios, 100% do desmatamento foi criminoso.

Fonte: Climainfo


Postar comentário