Mercado Central de BH recebe homenagem pelos seus 90 anos

Espaço é considerado democrático e com forte apelo turístico
Da redação* - redacao@souecologico.com
Cultura
Publicado em: 03/09/2019

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) foi palco, nessa segunda-feira (02/09), de homenagens ao Mercado Central de Belo Horizonte. O presidente do Legislativo, deputado Agostinho Patrus (PV), conduziu a Reunião Especial que homenageou os 90 anos de fundação do espaço e ressaltou sua “importância diversa”. Ele falou do valor turístico, mas também comercial e social, na medida em que garante o sustento de mais de 12 mil trabalhadores.

O parlamentar também destacou que o espaço é democrático e está aberto a todos. Ele ressaltou ainda que os produtores – de queijo, de cachaça ou de outros bens – se sentem honrados por terem seus produtos vendidos ali e exaltou o local como síntese de Minas Gerais, onde se encontram o interior e a capital.

O presidente do Mercado Central, Geraldo Campos, agradeceu a homenagem em nome dos comerciantes, trabalhadores e usuários. Segundo ele, o local reúne 380 lojas e foi escolhido por uma pesquisa conduzida por uma revista de turismo o terceiro melhor mercado do mundo.

A deputada Ione Pinheiro (DEM) foi a autora do requerimento que deu origem à homenagem. Ela também ressaltou a importância do Mercado para Belo Horizonte. A cerimônia contou com a presença de outras autoridades, como a secretária estadual de agricultura, pecuária e abastecimento, Ana Maria Soares Valentini.

Mercado Central reúne centenas de lojas e oferece produtos típicos mineiros, como queijos e doces -  Foto: Breno Pataro/PBH
Mercado Central reúne centenas de lojas e oferece produtos típicos mineiros, como queijos e doces - Foto: Breno Pataro/PBH

Registro histórico. Na ocasião, foram lançados um livro e um selo para celebrar as nove décadas de existência. O livro, chamado “90 anos de histórias”, foi produzido pela associação sem fins lucrativos que, desde 1964, gerencia o Mercado. Nele, segundo Geraldo Campos, estão histórias dos corredores do local e das pessoas que o constroem cotidianamente.

Já o selo foi produzido pelos Correios e criado pela designer Daniela Piancastelli. A ideia é que, ao ser usado na postagem de correspondências, o selo ajude a divulgar a imagem do mercado. Além disso, como se trata de uma peça comemorativa, o selo deve também figurar como peça de coleção.

* Com informações da ALMG.


Postar comentário