Minas Gerais tem a maior base florestal plantada do país e se consolida como o maior produtor de carvão vegetal do mundo

Área já ultrapassa 2 mi de hectares; nesta sexta-feira, 14, o setor se reúne para discutir principais desafios e tendências da indústria florestal para os próximos anos
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 14/02/2020

A base florestal plantada de Minas Gerais ultrapassou a marca de dois milhões de hectares, de acordo com a Associação Mineira da Indústria Florestal (AMIF), reforçando a posição do Estado como maior detentor do plantio de florestas do país e enfatizando o compromisso da indústria regional com a preservação ambiental e o autossustento. Outro dado importante coloca a indústria mineira de árvores plantadas em destaque no cenário global: Minas Gerais é líder mundial de produção e consumo de carvão vegetal proveniente dessas florestas. “Nosso estado tem um enorme potencial para o plantio de árvores. Contamos com clima e solo extremamente favoráveis, além de uma localização estratégica e privilegiada. Tudo isso sem falar na extensão territorial. Minas é maior que muitos países. Todos esses fatores, juntos, nos colocam em vantagem frente aos outros estados brasileiros”, explica Adriana Maugeri, presidente da AMIF, que, nesta sexta-feira, 14, promoverá um grande encontro com líderes do Governo Estadual, do setor e da agroindústria para debater as principais tendências e perspectivas da indústria florestal para os próximos anos.

Por meio do cultivo de florestas plantadas, siderúrgicas e ferroligas, empreendimentos do segmento de celulose, papel, lápis, painéis e outros produtos sólidos da madeira conseguem produzir matéria-prima e insumos utilizados nos processos produtivos, como a celulose, carvão vegetal e a própria madeira. “Apesar de representarem pouco menos de 1% do território nacional, as florestas plantadas são responsáveis por 91% de toda a madeira produzida para fins industriais e 6,1% do PIB Industrial do país”, explica Maugeri. A madeira de Minas Gerais abastece empresas de outros estados, como Bahia e Espírito Santo, e até de outros países. As empresas instaladas no Estado possuem certificação internacional, como o FSC - Forest Stewardship Counci, que garante a sustentabilidade do manejo e origem da madeira através da exigência de parâmetros rigorosos.

Divulgação/AMIF
Divulgação/AMIF

Ainda de acordo com Adriana, as florestas plantadas oferecem diversos serviços ambientais e sociais: recuperam áreas degradadas, contribuem para manter a disponibilidade da água e nutrientes do solo, amenizam a pressão sobre as florestas naturais, conservam e mantêm milhares de quilômetros de estradas, geram empregos em uma vasta cadeia de valor e contribuem para a inclusão social. “As florestas plantadas cumprem um papel social, econômico e ambiental importantíssimo. Elas são fonte de mais de cinco mil produtos e subprodutos e geram, ainda, inúmeros benefícios climáticos, uma vez que contribuem para o sequestro de carbono, que é a absorção do gás carbônico (CO2) presente na atmosfera”.

Eucalipto

No estado de Minas Gerais, as florestas plantadas com representação da AMIF estão presentes em mais de 238 municípios mineiros, e são compostas, prioritariamente, por eucalipto, mas também Pinus, Cedro e Mogno. As vantagens da cultura agrícola da madeira são muitas e estão cada vez mais evidentes. As principais e mais comuns são a produção do carvão vegetal e da celulose. O carvão vegetal como fonte energética limpa e renovável, e a celulose, como máteria-prima para produção de papel para impressão, fraldas descartáveis, papel higiênico, entre outros múltiplos produtos, imprescindíveis no cotidiano das pessoas. Com a necessidade do Brasil de gerar mais energia e o interesse do poder público em produção de energia limpa e renovável, os produtores de madeira perceberam outra grande oportunidade de expansão dos negócios. Isso porque, também na produção de biomassa florestal, as plantações florestais têm vantagens que se destacam diante de outros tipos de plantios.

Desafios do setor

Sobre os principais desafios do setor de florestas plantadas em Minas Gerais hoje, Adriana enfatiza o necessário combate à produção e ao consumo de carvão ilegal feito com árvores nativas e a consolidação de ambiente amigável para negócios, que precisa avançar no Governo por meio da desburocratização e atratividade de investimentos. “Entendemos que mais importante que sustentar a maior base florestal do país, é contar com plantios que sejam cada vez mais produtivos. Não basta ter a maior floresta plantada do Brasil se não produzirmos mais madeira com qualidade e custos justos”. Para a presidente, é fundamental que o setor mantenha investimentos contínuos em pesquisa e desenvolvimento e em práticas de manejo sustentável, a fim de oferecer madeiras com origem rastreável e que atestem a sustentabilidade de toda a cadeia de valor.

Fonte: Associação Mineira da Indústria Florestal


Postar comentário