Norte de Minas Gerais receberá 32 usinas fotovoltaicas

Expectativa é de que 1.500 empregos sejam gerados com o acordo firmado
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Sustentabilidade
Publicado em: 05/09/2019

A Região Norte de Minas Gerais receberá 32 usinas geradoras de energia solar da empresa paulistana Mori. Ao todo, serão investidos R$ 523 milhões em 17 municípios mineiros. A expectativa é de que 1.500 empregos sejam gerados e que 1,7 milhão de residências sejam beneficiadas com o acordo firmado entre a companhia e o governo.

A parceria foi firmada na última sexta-feira (30), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, depois de reunião envolvendo o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), secretários e sócios da Mori. O político comemorou o acordo.

“Nós queremos que Minas, da mesma maneira que é considerada a caixa d’água do Brasil em termos de reservatórios, também tenhamos essa quantidade de usinas fotovoltaicas, já que o nosso índice de insolação, principalmente no Norte do Estado, é muito alto”, disse, à Agência Minas.

Mori escolheu Minas pelo 'cinturão solar' contido no território estadual (Foto: Divulgação/Mori)
Mori escolheu Minas pelo 'cinturão solar' contido no território estadual (Foto: Divulgação/Mori)

Minas Gerais é o estado que mais gera energia solar do Brasil. Segundo um levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), 22,1% da geração do país pode ser atribuída à unidade federativa.

Completam o “pódio” Rio Grande do Sul, em segundo, com 14,1% da relevância solar nacional, e São Paulo, em terceiro com 12,6%. Zema destacou que quer ampliar a vantagem de Minas em relação aos outros estados.

“Fico satisfeito em nos consolidarmos cada vez mais como o primeiro lugar na geração de energia fotovoltaica aqui no Brasil. Tenho certeza que essa grande quantidade adicional de energia gerada a médio e longo prazo vai tornar o preço competitivo e nós vamos ter condições de atrair muitas indústrias aqui para o estado", afirmou.

Bruno Ken Taniwaki Shiraga, diretor de Suprimentos da Mori, também comentou sobre o potencial sustentável da iniciativa: “Pensar na energia solar é pensar no futuro por meio da energia limpa, contribuindo para a preservação do meio ambiente e para o desenvolvimento sustentável das comunidades. Outro ponto positivo é que a implantação de um empreendimento deste porte propicia diversos benefícios para as comunidades onde estão inseridas, gerando emprego, distribuição de renda e qualificação profissional”. O início das obras ainda não tem previsão.


Postar comentário