Observatório da UFRJ realiza primeira noite astronômica do ano

Para participar as pessoas deverão chegar entre 19h e 22h
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Astronomia
Publicado em: 05/02/2020

Cariocas e turistas têm um programa agendado nesta quinta-feira (5), no Observatório do Valongo (OV), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), localizado na Ladeira do Pedro Antonio, Morro da Conceição, bairro da Saúde, região central do Rio de Janeiro. Trata-se da “Primeira Noite de Observação Astronômica do Ano” do Observatório do Valongo.

O coordenador do evento, astrônomo Daniel Mello, disse hoje (4) à Agência Brasil que não é necessário fazer inscrição prévia. Basta a pessoa chegar no OV entre 19h e 22h. Serão respeitadas apenas duas coisas: o limite máximo de 150 pessoas e a colaboração do tempo. “A gente precisa de um tempo sem nuvens ou, no máximo, que apareçam somente nuvens bem esparsas”, disse Mello. Adiantou que, de qualquer forma, se a atividade não conseguir ser feita amanhã, ela será remarcada automaticamente para a próxima quarta-feira (12), no mesmo horário.

Não há restrição para faixa etária. Pessoas de todas as idades podem participar do evento. Daniel Mello explicou que a primeira parte da observação noturna compreende informações básicas que são passadas às pessoas antes de utilizarem os telescópios. “A gente mostra primeiro o céu, os astros que estão visíveis, através de um apontador estelar a olho nu. Primeiro, as pessoas vão aprender a reconhecer as constelações, as principais estrelas, a conhecer os planetas que estiverem visíveis, como esses astros se movimentam no céu. Tudo utilizando uma linguagem bem adequada para público leigo, mostrando essa parte mais introdutória da astronomia e dando espaço para as pessoas fazerem perguntas, questionamentos. Isso é superimportante”, definiu o astrônomo do OV.

Marcello Casal jr/Agência Brasil
Marcello Casal jr/Agência Brasil

Telescópios

A segunda parte da observação noturna envolve a apresentação dos astros visíveis por meio dos telescópios e é uma maneira dessas pessoas apreenderem para que servem esses instrumentos, disse Mello. “A gente consegue ver coisas em detalhes com o telescópio que não consegue ver com nossos olhos”. Nesse programa, há a observação da Lua, do planeta Vênus que está brilhante nessa época do ano, e de outros astros especiais que só são visíveis por meio do telescópio. Os curiosos terão oportunidade de ver as crateras lunares, as fases do planeta Vênus invisíveis a olho nu, por exemplo.

Daniel Mello informou que uma coisa interessante que vai ocorrer no horário da observação é a passagem do Telescópio Hubble pelos céus do Rio de Janeiro. “Poucas pessoas sabem, mas ele é visível a olho nu”, destacou o astrônomo, também coordenador de extensão do OV. O Telescópio Espacial Hubble é um satélite artificial não tripulado que transporta um grande telescópio para luz visível e infravermelha. Foi lançado pela agência espacial dos Estados Unidos (NASA), em 24 de abril de 1990, a bordo do ônibus espacial Discovery. É preciso, entretanto, que haja a colaboração do tempo para que as pessoas possam assistir à passagem do Hubble, reiterou Mello. “Não precisa nem chover; basta o tempo ficar nublado e a gente não vai poder fazer nenhuma das atividades”.

Agenda

Para março próximo já está programada a “Semana de Órion”, para observação da constelação do mesmo nome, uma das mais conhecidas do público e, talvez, como adiantou Daniel Mello, o Observatório do Valongo apresente o “Primeiro Sábado Astronômico”, que deverá se repetir uma vez em cada mês. Em junho, está prevista a “Semana dos Planetas Gigantes”. Essa agenda exige a realização de inscrições prévias.

Entre março e novembro serão dados cursos de extensão do OV. O primeiro tema é introdução à astronomia. No mesmo período é oferecido um ciclo de palestras denominado “Astronomia para Poetas”, em que os professores falam de temas diversos utilizando uma linguagem mais poética, não científica, visando atrair mais público interessado em ciência. As palestras são realizadas também às quartas-feiras, antecedendo as observações noturnas.

Está agendada ainda, no dia 9 de março, a observação de uma super lua, que se repetirá no dia 7 de maio. O acesso será franqueado ao público interessado. Daniel Mello esclareceu que os cursos, dependendo do assunto abordado, têm entre três e oito aulas. Eles falam sobre temas específicos como, por exemplo, história da Astronomia, astrobiologia, buracos negros, sistema solar, exoplanetas, cosmologia e galáxias, introdução à astrofotografia, entre outros. Os cursos são limitados à lotação entre 20 e 30 pessoas.

O Observatório do Valongo da UFRJ é vinculado ao Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza e oferece visitas guiadas de terça a sexta-feira, no horário de 11h as 16h.

Fonte: Agência Brasil


Postar comentário