ONG aponta que desmatamento na Amazônia é comandado por quadrilhas

Organização Humans Rights Watch (HRW) divulgou o estudo nessa terça-feira (17)
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 18/09/2019

Um estudo realizado pela Organização Não-Governamental (ONG) estadunidense Humans Right Now (HRW) aponta que o desmatamento da Floresta Amazônica brasileira se dá graças a ações de quadrilhas criminosas. O trabalho foi desenvolvido durante dois anos.

O pesquisador César Muñoz, integrante da HRW, disse ainda que essas quadrilhas se comunicam para realizar os cortes ilegais nas áreas devidas. “Essas redes criminosas têm contato entre elas e atuam com diversos atores que estão em diversas funções ilegais. Então, você tem o grupo que faz extração ilegal de madeira, tem outro especializado em grilagem e outro esquentando a madeira”, disse, à Agência Brasil.

O pesquisador deu mais detalhes do método de pesquisa adotado para chegar às conclusões. A HRW visitou três estados, colheu 170 entrevistas (parte por telefone, com moradores da região e agentes públicos). “Viajamos por vários estados da Amazônia e documentamos padrões de violações de direitos em pelo menos 12 comunidades”.

Quadrilhas agem em conjunto e ameaçam comunidades tradicionais (Foto: Agência Brasil)
Quadrilhas agem em conjunto e ameaçam comunidades tradicionais (Foto: Agência Brasil)

Ainda segundo Muñoz, o Governo Federal não tem dados sobre a violência de possíveis disputas de território entre os criminosos e até de ameaças às comunidades tradicionais. “Os casos de violência e ameaças estão em muitos lugares da Amazônia. E esse é um dos problemas, nenhuma autoridade federal ou estadual compila os casos”.

Para o pesquisador, o cenário muda somente quando há alguma repercussão midiática. “Temos casos onde houve ação penal do Ministério Público, porque houve investigação da polícia, porque houve repercussão nacional. Isso mostra que é possível fazer”.

Uma das recomendações do relatório é que a violência contra os agricultores e comunidades tradicionais na Amazônia passe a ser acompanhada diretamente pelo Governo. O documento aponta a necessidade que as autoridades federais registrem os casos de violência relacionada a disputas pela terra e identifiquem os padrões de violação de direitos das pessoas que vivem nessas áreas.

O relatório aponta ainda que os índios são um fator de proteção da floresta. Nas terras indígenas, muitas vezes, o desmatamento é menor até mesmo do que em áreas de proteção ambiental, devido ao esforço feito pelas comunidades. É justamente por isso, segundo documento, que essas pessoas são ameaçadas e mortas.


Postar comentário