Países da Amazônia fazem pacto em defesa da floresta

Colômbia, Peru, Equador, Bolívia, Brasil, Guiana e Suriname participaram
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 09/09/2019

Sete dos nove países que compartilham a Amazônia assinaram um pacto, na última sexta feira (6), com medidas para proteger a maior floresta tropical do planeta, no momento muito ameaçada por desmatamento e incêndios florestais. Assinaram: Colômbia, Peru, Equador, Bolívia, Brasil, Guiana e Suriname. Não participaram da Cúpula: Venezuela, que Bolsonaro diz ter vetado, e Guiana Francesa, território ultramarino europeu.

Segundo O Globo, o pacto “obriga a trabalhos conjuntos de mitigação, proteção e prevenção na floresta; coordenação das nações para enfrentar as causas do desmatamento, como a mineração, o narcotráfico, a extensão ilegal da fronteira agrícola e a exploração ilegal de minerais”. Mas, na verdade o texto não obriga a nada, é uma mera declaração de intenções não vinculantes.

O Pacto repercutiu fortemente nas mídias nacionais e internacionais.

Reprodução/Climainfo
Reprodução/Climainfo

Em tempo 1: o Papa Francisco disse, no sábado (7), em Madagascar, que o rápido desmatamento e a perda de biodiversidade que acontece em cada país não devem ser tratados como questões locais, uma vez que ameaçam o futuro do planeta.

Em tempo 2: mesmo tendo representado o Brasil na reunião que definiu o pacto, o Chanceler Araújo continua insistindo que a Amazônia não está “queimando em absoluto. Tivemos incêndios este ano um pouco mais do que no ano passado, mas um pouco abaixo da média dos últimos 20 anos”.

Em tempo 3: o general Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo de Bolsonaro, perguntou em caixa alta, no Twitter, na quarta-feira (4): “Qual é o nosso plano para a Amazônia”. Ele já havia cobrado publicamente uma mudança na condução da crise amazônica: “Por que o Brasil não lidera a discussão sobre a Amazônia com os países que fazem parte da área amazônica?”.

Fonte: Climainfo


Postar comentário