Papagaio-de-cara-roxa: censo populacional precisa de recursos para monitorar espécie

Campanha de arrecadação está sendo feita via financiamento coletivo
Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Fauna
Publicado em: 09/05/2019

A Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), instituição do terceiro setor focada em conservação da natureza está promovendo por meio de “crowdfunding” a campanha “Ajude o Censo Populacional do Papagaio-de-cara-roxa 2019” até 27 de maio.

O objetivo da “vaquinha virtual” é obter capital para viabilizar a realização do monitoramento anual do papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis). O trabalho realizado a cada ano pela equipe do Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa em uma estreita faixa de planície entre o litoral sul de São Paulo ao litoral do Paraná, é o principal indicador dos resultados do projeto, pois a partir dos estudos desenvolvidos é possível avaliar se a espécie está reproduzindo e conseguindo se manter mesmo com ameaças frequentes, como a redução da área de distribuição e o tráfico ilegal de filhotes. Neste ano, o censo será realizado entre os dias 31 de maio e 2 de junho.

As contagens dos animais acontecem ao amanhecer, quando os papagaios saem em busca de alimentos, e ao entardecer, quando voltam para descansar. De acordo a SPVS, são feitas quatro contagens em cada um dos dormitórios, envolvendo a participação da equipe do projeto e voluntários (moradores da região, pesquisadores, estudantes de biologia, veterinária, engenharia florestal, turismo e conservacionistas). Os recursos serão destinados a cobrir as despesas operacionais e logística do processo.

O Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa completou, em 2018, 20 anos acompanhando o desenvolvimento da espécie e contribuindo para o recente aumento da população. Para a bióloga e coordenadora do Projeto, Elenise Sipinski, durante essas duas décadas, os dados do monitoramento populacional subsidiaram a avaliação do status da espécie, classificada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) inicialmente como ‘vulnerável’, e a partir de 2014 para ‘quase ameaçada’. “Isso indica a eficiência das ações para sua proteção”.

Elenise também destaca que nas últimas duas décadas, o projeto foi desenvolvido sem interrupções e o apoio da sociedade é essencial para continuar o trabalho em prol da conservação da espécie. Até o momento, a campanha já conta com alguns apoiadores, como o Parque das Aves.

Os interessados em colaborar com o podem acessar aqui!

Papagaio-de-cara-roxa. Foto:Alison Hales
Papagaio-de-cara-roxa. Foto:Alison Hales

Curiosidades

De acordo com o Museu de Zoologia da Universidade de Viçosa (UFV), essa espécie de papagaio gosta de morar nas copas das árvores de áreas serranas da Mata Atlântica, de preferência em bosques, pinheirais de araucária e na floresta montana. Pode ser encontrado sozinho, casais ou em grupos familiares, podendo formar bandos em certas épocas do ano.

Eles se alimentam de sementes e na maioria das vezes descartam a polpa das frutas. Dentre os itens mais consumidos estão frutos do pinheiro-bravo, jerivá, araçá, sementes da araucária, brotos, folhas tenras e flores de outras árvores.


Postar comentário