Parlamentares entregam relatório da CPI de Brumadinho a atingidos

Comunidades cobram localização das 13 vítimas ainda desaparecidas e punição
Da redação* - redacao@souecologico.com
Brumadinho
Publicado em: 16/12/2019

Parlamentares da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) entregaram a representantes das comunidades atingidas e autoridades públicas o relatório final com recomendações e os resultados dos trabalhos de investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Barragem de Brumadinho da ALMG, realizados ao longo de seis meses.

O relatório da CPI da Câmara dos Deputados também foi apresentado na reunião do Grupo de Trabalho da Barragem de Brumadinho, instituído pelo Parlamento mineiro, para monitorar continuamente as ações policiais, do Ministério Público de Minas Gerais, do Poder Judiciário e as medidas de reparação a serem implementadas pela Vale.

O encontro realizado na última sexta-feira (13) foi aberto com o pedido de um minuto de silêncio pelas 13 vítimas, cujos corpos ainda não foram localizados. Conforme apontamentos dos relatórios, devem ser indiciadas 22 pessoas, dentre elas, 11 dirigentes e empregados da mineradora, além de dois auditores da empresa Tüv Süd, que liberaram o funcionamento da barragem.

Atingidos têm demandas diferentes, mas todos cobram punição – Foto: Guilherme Bergamini/ALMG
Atingidos têm demandas diferentes, mas todos cobram punição – Foto: Guilherme Bergamini/ALMG

O deputado André Quintão (PT) e o deputado federal Rogério Correia (PT-MG) apresentaram os principais pontos dos relatórios, considerados convergentes, e se comprometeram a instituir instância chamada de “observatório”, que vai reunir parlamentares, representantes de órgãos públicos e da sociedade civil para acompanhar os desdobramentos da CPI, no âmbito da responsabilização da Vale, na aprovação de nova legislação sobre barragens e no ressarcimento das vítimas.

Os participantes prestaram homenagem a representantes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, que ensejou um apelo da deputada Beatriz Cerqueira (PT): "As buscas não podem cessar, todos têm o direito de enterrar seus pais, irmãos, irmãs, filhos e filhas". O pedido também foi apresentado pelos familiares ao longo da reunião.

* Com informações da ALMG.


Postar comentário