Pesquisa mostra que bitucas de cigarro compõem a maior parte do lixo das praias do Brasil

Estudo foi coordenado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe)
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 24/01/2020

Um estudo da segunda fase do projeto Lixo Fora D’Água, coordenado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), apontou que as bitucas de cigarro compõem a maior parte do lixo nas praias do Brasil. De acordo com o levantamento, a cada trecho de oito quilômetros (km) há cerca de 200 mil bitucas de cigarro.

No ranking, as bitucas são seguidas de plásticos diversos, com 150 mil fragmentos; hastes plásticas de pirulitos e cotonetes, com 19 mil; tampas e anéis de lata, com 15 mil; e palitos de sorvete e churrasco, com 7 mil.

A Secretaria de Meio Ambiente de Santos e a Agência de Proteção Ambiental da Suécia também participaram do levantamento. O Lixo Fora D’Água existe desde 2018, e nesse período identificou que as três principais fontes de vazamento de lixo e resíduos para o mar são as comunidades nas áreas de palafitas, os canais de drenagem que atravessam a malha urbana e a própria orla da praia em sua faixa de areia.

A cada trecho de 8 quilômetros há cerca de 200 mil bitucas de cigarro (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
A cada trecho de 8 quilômetros há cerca de 200 mil bitucas de cigarro (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Entre os resíduos mais encontrados e em maior quantidade nas praias estão os materiais plásticos e de forma variada. São eles: plástico filme, pequenos tubos plásticos, hastes plásticas e isopor (52,5%); bitucas de cigarro, responsáveis por 40,4% do lixo coletado; e borracha, metal, madeiras, embalagens e outros (7,11%).

O projeto Lixo Fora D’Água acontece simultaneamente em outras seis cidades litorâneas: Balneário Camboriú (SC), Bertioga (SP), Fortaleza (CE), Ipojuca (PE), Rio de Janeiro (RJ) e São Luís (MA). Para essas cidades também serão elaborados diagnósticos individualizados. As ações de prevenção, limpeza e monitoramento do lixo no mar serão desenvolvidas e implementadas com base no aprendizado desenvolvido inicialmente em Santos.


Postar comentário