Escola de BH desenvolve projeto que transformam resíduos em arte

Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Educação Ambiental
Publicado em: 24/07/2019

Sob a influência das obras do poeta Manoel de Barros e do artista plástico Vik Muniz, professora e alunos da Escola Municipal Prefeito Souza Lima, localizado no bairro Jardim Vitória da capital mineira, criaram o projeto “Invencionática: um outro olhar para o ínfimo”. A ação tem como principal objetivo apresentar a comunidade escolar, a importância da reciclagem em nosso cotidiano.

A iniciativa vai possibilitar aos alunos o desenvolverem novas capacidades cognitivas e expansão do olhar crítico às pessoas e objetos que estão ao seu redor, usando como ferramentas a arte, a literatura, a imaginação, novos experimentos e as diversas produções artísticas.

Desenvolvido pela professora de Artes da escola, Kátia Archanjo, o “Invencionática” ganhou espaço na imaginação dos alunos. "É muito gratificante acompanhar o interesse dos alunos pela arte e literatura, o entusiasmo, a participação ativa e o trabalho em equipe. O projeto reúne ações e muitas frentes de trabalho que foram surgindo dos próprios alunos, como a discussão em relação ao lixo descartado de maneira irregular", ressalta a professora.

Segundo Maria Eduarda, uma das alunas que participa do projeto considera a ideia bem diferenciada. "A professora nos propôs escolher um dos poemas de Manoel de Barros para trabalharmos a partir dele, e nós escolhemos 'O apanhador de desperdícios', pois é literalmente o que estamos fazendo: transformando o que é lixo em arte. Depois desse trabalho, passamos a ver as coisas inutilizadas com outros olhos, com outro significado".

Foto: PBH
Foto: PBH

Impacto Socioambiental

Para trabalhar a temática com os alunos, Kátia Archanjo utilizou os filmes Lixo Extraordinário, de Vik Muniz, e Só Dez por Cento é Mentira, de Pedro César, além da exposição "Das raízes crianceiras às coisas olhadas de azul", que apresenta os poemas do escritor Manoel de Barros. Todos esses recursos contribuíram para as reflexões sobre a arte e a sustentabilidade e foram estímulos para os alunos, que transformaram a biblioteca da escola em um verdadeiro laboratório.

A professora conta que as aulas viraram um espaço de invenções. "Confeccionamos objetos e brinquedos tridimensionais com materiais recicláveis; fizemos um livro ilustrado sobre o poema O livro sobre nada e usamos o celular para registrarmos a escola e as cenas do dia a dia. Além disso, fizemos um painel (colagens com objetos e materiais tridimensionais) com a caricatura de Manoel de Barros utilizando os resíduos coletados pelos alunos", destaca.

De acordo com a diretora da escola Dionéia Pereira, o trabalho desenvolvido é muito importante para toda sociedade. "Trabalhar a conscientização dos nossos alunos por meio da arte, ações de sustentabilidade e literatura é um desejo permanente da instituição e que repercute positivamente em toda a comunidade, e a professora Kátia vem executando muito bem essa proposta", ressalta a diretora.

Foto: PBH
Foto: PBH

Para compartilhar as atividades desenvolvidas, acesse aqui o canal do projeto no YouTube!


Postar comentário