Primeira mulher a ser eleita presidente da Comissão Europeia declara crise climática como “prioridade número um”

Leyen também se comprometeu a elevar a meta climática da UE
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Clima
Publicado em: 18/07/2019

Por escassa margem de votos no Parlamento Europeu, a alemã Ursula von der Leyen foi eleita presidente da Comissão Europeia. Em discurso feito no Parlamento Europeu logo antes da votação, a política alemã prometeu fazer da mudança do clima sua “prioridade número um”.

Divulgação/Ursula von der Leyen
Divulgação/Ursula von der Leyen

A mudança do clima desempenhou um “papel decisivo” na votação, por conta dos blocos liberal e socialista terem condicionado seu apoio à candidatura de Leyen a uma maior ambição climática. O apoio destes blocos, somado ao dos conservadores, conferiu a Leyen um forte mandato para abordar questões como a mudança do clima.

O Financial Times detalhou as prioridades de Leyen: “Ela prometeu propor um imposto sobre o carbono nas fronteiras da UE, fazer a região se tornar carbono neutra até 2050 e criar um acordo verde sobre o investimento nos primeiros 100 dias do seu mandato.”

Leyen também se comprometeu a elevar a meta climática da UE para 2030 a uma redução de 50% a 55% nas emissões em relação aos níveis de 1990, diz a Clean Energy Wire, acima da meta atual de “pelo menos” 40%. O site acrescenta também que ela prometeu transformar partes do Banco Europeu de Investimento em “banco do clima” para desbloquear €1tn de investimento durante a próxima década.

O Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia não apoiou Leyen por avaliar que suas propostas de política climática eram demasiado fracas. A agenda de Leyen para a Europa pode ser baixada neste link.

Em tempo: os preços do carbono no EU’s Emissions Trading System (EU ETS) “dispararam para um nível recorde, à medida que os poluidores e os investidores especulativos se esforçam por obter créditos em meio a mais restrições ambientais por parte da UE”, nas palavras de Nikou Asgari no Financial Times.

Fonte: Climainfo


Postar comentário