Programa de incentivo à compostagem fica próximo de ser realidade em BH

Ideia está nas mãos do prefeito Alexandre Kalil (PSD), que pode vetá-lo ou aprová-lo
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 04/02/2020

A Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou, nessa segunda-feira (3), em segundo turno, um projeto de lei que incentiva a compostagem de resíduos orgânicos domésticos em domicílios, instituições públicas ou privadas e em condomínios residenciais na capital mineira. O texto, de autoria do vereador Irlan Melo (PL), vai agora para sanção ou veto do prefeito da cidade, Alexandre Kalil (PSD).

Entre as ações previstas no texto, está a implantação, em todas as feiras livres, de mecanismos de responsabilização e sensibilização de toda a cadeia produtiva envolvida na gestão dos sistemas de compostagem doméstica por meio da educação ambiental, visando ao aproveitamento integral dos alimentos. A compostagem é um processo que transforma restos de alimentos e resíduos orgânicos em adubo.

Compostagem também é conhecida como a "reciclagem dos resíduos orgânicos" (Foto: Domínio público)
Compostagem também é conhecida como a "reciclagem dos resíduos orgânicos" (Foto: Domínio público)

Outro projeto com viés ambiental foi discutido nessa segunda-feira: a proibição dos canudos de plástico convencional na capital mineira, substituindo-os por canudos biodegradáveis. Os vereadores debateram e chegaram a vetar duas emendas do projeto, e tudo indicava para a rejeição da matéria.

Diante desse cenário, o vereador Jorge dos Santos (Republicanos) retirou a matéria da pauta. Ela retornará em outro momento, depois de determinação da presidente da casa, Nely Aquino (PRTB).


Postar comentário