PV pede suspensão de atos que liberaram agrotóxicos

Dos 239 novos agrotóxicos registrados, 33 são altamente tóxicos para a saúde humana, contendo dose letal entre 5mg/kg e 50mg/kg, e 63 são extremamente tóxicos, com dose letal abaixo de 5mg/kg
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 01/07/2019

O Partido Verde (PV) entrou na última quinta-feira (27) no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF), com pedido de medida cautelar, contra nove atos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que, somente neste ano, promoveram o registro de 239 novos agrotóxicos.

Divulgação/MST
Divulgação/MST

A ADPF – movida quando os conteúdos mais importantes da Constituição Federal são desrespeitados, no caso, o direito à saúde e à alimentação e a proteção intrínseca ao meio ambiente – justifica-se pelos riscos que correm a saúde humana e animal e o meio ambiente diante da exposição a diversos produtos de alta toxicidade, e de seu consumo por meio de alimentos cultivados a partir dessas substâncias.

Assim, o PV pediu a suspensão dos efeitos dos atos (nº 1, 4, 7, 10, 17, 24, 29, 34 e 42, todos publicados no Diário Oficial da União) até o julgamento de mérito da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental.

Em apenas seis meses, foram registrados no Brasil:

· 33 novos agrotóxicos altamente tóxicos para a saúde humana, aqueles cuja dose letal está entre 5mg/kg e 50mg/kg;

· 63 novos produtos extremamente tóxicos para a saúde humana, cuja dose letal está em menos de 5mg/kg;

· 115 novos produtos muito perigosos para o meio ambiente; e

· cinco novos produtos altamente perigosos para o meio ambiente.

* São considerados, aqui, os parâmetros de bioacumulação, persistência, transporte, toxicidade a diversos organismos, potencial mutagênico, teratogênico e carcinogênico, da Portaria 84/1996 do Ibama

Fonte: PV


Postar comentário