Reciclagem: Anuário reforça a importância dos catadores na transformação dos resíduos

Publicação foi lançada em evento que reuniu catadores, integrantes da indústria, de ONGs e do poder público
Bruno - bruno@souecologico.com
Reciclagem
Publicado em: 09/09/2019

Os catadores de materiais recicláveis têm um papel importante para lidar com o desafio dos resíduos sólidos no país e foi um dos temas no lançamento da primeira edição do Anuário da Reciclagem 2017-2018. A publicação, produzida pela Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) e Pragma Soluções Sustentáveis, em parceria com a LCA Consultores, reúne dados que traduzem os benefícios das atividades realizadas na economia brasileira e o meio ambiente.

O lançamento ocorreu no última terça-feira, na capital paulista, e teve duas mesas de debates sobre o setor da reciclagem. Participaram representantes dos catadores, membros da indústria, de Organizações Não Governamentais e do poder público. "Esse anuário é um marco para os catadores; um instrumento fundamental para os governos e a inciativa privada terem acesso a informações consistentes sobre a nossa categoria", avaliou Roberto Rocha, presidente da ANCAT.

Representante da secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, José Valverde divulgou a tramitação de um protocolo de intenções entre a secretaria e a ANCAT para melhorar a gestão dos resíduos. "O governo estadual vai estabelecer seis eixos de atuação, e esse Anuário vai servir como ferramenta, um importante instrumento para revisar seu plano", destacou.

Já o presidente do Compromisso Empresarial pela Reciclagem (Cempre), Victor Bicca, que também é diretor de Relações Institucionais da Coca-Cola Brasil, explicou a necessidade de compromisso por parte da indústria. "Se não tivermos um esforço conjunto, não iremos chegar lá. Não acredito queteremos um modelo único que vai resolver a questão dos resíduos sólidos no Brasil. Por isso o papel fundamental dos catadores".

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Além dos impactos positivos para o trabalho dos catadores, o Anuário da Reciclagem tem papel relevante no debate sobre o meio ambiente. Foi o que observou Carlos Silva Filho, diretor-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), ao comentar os nove anos de criação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos. “ Hoje nós não temos mais tempo a perder na questão do tratamento adequado dos resíduos sólidos no Brasil. Nós precisamos acertar”.

Confira aqui a versão digital do Anuário da Reciclagem 2017-2018.


Postar comentário