Relatório Luz 2019 é apresentado em seminário da delegação da União Europeia no Brasil sobre Agenda 2030

Representantes do GT Agenda 2030 participaram ativamente do evento que discutiu em Brasília os avanços e desafios da implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no país
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 18/09/2019

O III Relatório Luz da Sociedade Civil para a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável foi apresentado em 10 de setembro em Brasília, durante o Seminário Avanços e Desafios na Implementação da Agenda 2030: O papel dos diferentes atores. O evento, que aconteceu em Brasília, foi promovido pela Delegação da União Europeia no Brasil com o apoio da Embaixada da França no Brasil.

A apresentação da publicação foi feita pelo economista e consultor do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030), Claudio Fernandes. “O Brasil é um país de crescimento arrastado. Historicamente dependente da exportação agrícola e com baixo retorno nos investimentos públicos. Precisa de novas soluções, investir em tecnologias, P&D e educação. A Agenda 2030 propõe a soluções para mudar este quadro”, disse Claudio.

O GT Agenda 2030 também esteve representado no dispositivo de abertura do Seminário, por meio da coordenadora geral da Gestos e uma das cofacilitadoras do GT, Alessandra Nilo, juntamente com o embaixador da União Europeia, Ignacio Ybañez; o secretário especial de Articulação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República, Iury Ribeiro; o coordenador do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic; e o encarregado de Negócios da Embaixada da França, Gilles Pécassou.

Divulgação/GT Agenda 2030
Divulgação/GT Agenda 2030

Além disso, representantes de duas organizações integrantes do GT Agenda 2030 participaram da mesa “Os desafios futuros para a implementação da Agenda 2030 no Brasil: O papel de diferentes atores”: Suelaine Carneiro, do Geledés Instituto da Mulher Negra, na coordenação da mesa; e Francisco Menezes, do ActionAid Brasil, como um dos expositores. “Não temos 17 objetivos isolados. Assim como os direitos, os ODS são indissociáveis e só serão alcançados se implementados articuladamente. Estamos preocupados, pois o governo federal não está engajado e suas praticas são contrárias à Agenda 2030”, disparou Francisco, que também destacou em sua fala a essencialidade da sociedade civil para a implementação dos objetivos globais no Brasil.

Estavam presentes, ainda, representantes da ACT Promoção da Saúde (Fabiana Fregona e Laura Cury); da ARTIGO 19 (Joara Marchezini); do Instituto Democracia e Sustentabilidade – IDS (Carolina Mattar); e da Rede Brasileira de População e Desenvolvimento – REBRAPD, Richarlls Martins.

Na última quarta (11), a Delegação da União Europeia no Brasil realizou o Seminário-Consulta “Novos Desafios e Caminhos para a Sociedade Civil Brasileira”, com o objetivo de apresentar contribuições das organizações da sociedade civil brasileira para subsidiar a construção do documento estratégico Roteiro-País 2020-2025 para o Brasil. Entre os temas abordados estavam os direitos humanos, as desigualdades, o meio ambiente e o clima e o ambiente favorável à sociedade civil. Desta vez, outra integrante do GT Agenda 2030, Viviana Santiago (Plan International Brasil) coordenou a mesa temática “Novos desafios e caminhos para a democracia brasileira”.

Fonte: GT Agenda 2030


Postar comentário