Representação 3D de fogo na Austrália viraliza nas redes sociais

Imagem foi criada pelo editor australiano Anthony Hearsey a partir de imagens de satélite
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 08/01/2020

A situação envolvendo os incêndios na Austrália, que atormentam o maior país oceânico desde setembro de 2019, piora a cada dia. Uma imagem que traduz a trágica situação é uma representação 3D criada a partir de fotos de satélite da Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (Nasa), captadas entre 5 de dezembro e 5 de janeiro.

Rapidamente, a imagem tomou as redes sociais. Entretanto, ela não é uma foto real da situação australiana de momento, mas sim uma representação 3D dentro de um recorte temporada. O próprio autor da imagem explicou.

“Isso é uma visualização 3D do fogo na Austrália, não uma foto. Pense nisso como um gráfico mais bonito. Isso foi feito a partir de imagens da Nasa. A escala é um pouco exagerada devido ao brilho da renderização, mas geralmente é fiel às informações do site da Nasa. Observe também que nem todas as áreas ainda estão queimando, e isso é uma compilação”, disse, nas redes sociais.

Representação foi conseguida por imagens de 30 dias seguidos (Foto: Anthony Hearsey)
Representação foi conseguida por imagens de 30 dias seguidos (Foto: Anthony Hearsey)

Desde o início da crise com os incêndios na Austrália, 25 pessoas morreram, milhares de casas destruídas e meio bilhão de animais mortos (dentre eles, um terço da população de coalas). Mais de 5,5 milhões de hectares também foram devastados.

São 170 mil brigadistas que trabalham dia e noite para tentar controlar a complexa situação, em meio a um cenário de seca e quentura em todo o país. Os números são atualizados diariamente.

Várias casas foram evacuadas devido ao estado de desastre decretado pelo governo. Na última segunda-feira (6), o governo da Austrália informou que destinará dois bilhões de dólares australianos (cerca de 1,3 bilhão de dólares estadunidenses) para recuperar as áreas afetadas por incêndios no país.


Postar comentário