Startup chilena cria maionese com apelo sustentável

Produto chega ao Brasil no próximo mês
Da Redação / Ecológico - redacao@revistaecologico.com.br
Alimentação
Publicado em: 25/03/2019

Parece uma maionese tradicional, no sabor e na textura. Mas não é. A NotMayo, que chega ao varejo brasileiro no próximo mês, só tem ingredientes vegetais em sua composição. Nadinha de ovo. E essa é a proposta da NotCo, além do apelo ecológico, para conquistar o mercado.

A empresa, que é uma startup chilena, com elevado investimento em tecnologia, propõe uma mudança na forma como as pessoas vão se alimentar no futuro. Para isso, desenvolveram uma inteligência artificial capaz de analisar alimentos de origem animal e recriá-los com plantas.

“Hoje em dia, a fim de manter um sistema baseado na pecuária, um terço da área habitável da Terra está sendo usado e emitindo mais CO2 do que todos os meios combinados de transporte, o que está matando nosso planeta. E como se isso não bastasse, obesidade, problemas cardíacos, níveis de colesterol e tudo o que vem com esta dieta ocidental é causada pelo simples fato de que alimentos saudáveis ​​não são acessíveis”, diz a NotCo em seu site oficial.

NotMayo é vendida no Chile desde 2017, onde já conquistou 10% do mercado - Foto: Reprodução /@thenotco
NotMayo é vendida no Chile desde 2017, onde já conquistou 10% do mercado - Foto: Reprodução /@thenotco

A receita foi desenvolvida por Giuseppe, nome dado ao algoritmo que analisa os alimentos em nível estrutural para formular as receitas inovadoras. “A inteligência artificial nos dá uma nova maneira de entender nossa comida. Ao cruzar as informações estruturais, Giuseppe encontra padrões que permitem detectar quais são as plantas que devem ser combinadas para gerar o sabor e a textura desejados”, informa a empresa.

Uma curiosidade sobre a forma como Giuseppe trabalha é que ele não parte de modelos pré-estabelecidos. Assim, o algoritmo pode fazer combinações inusitadas para encontrar o sabor que deseja. Por exemplo, brócolis com goji, um cogumelo e noz serve para imitar o sabor de chocolate, outra solução encontrada foi usar grão de bico para substituir o ovo na maionese.

A startup diz que Giuseppe está evoluindo e gerando novos conhecimentos à medida que novas informações são incorporadas ao banco de dados. O uso dessa tecnologia permitirá descobrir novas fontes de alimento que, por séculos, foram ignoradas.

“Novas fontes de fibra, cálcio e proteínas do reino vegetal são algumas das coisas que conseguimos identificar com Giuseppe e que o aproximam cada vez mais de se tornar o mais inteligente cientista e chef de cozinha do mundo”, informa a NotCo.


Postar comentário