Serviço Geológico Brasileiro acompanha deslocamento de rejeitos no Rio Paraopeba

Sedimentos avançam a velocidade de um quilômetro por hora, diz CPRM
Da Redação / Ecológico – redacao@revistaecologico.com.br
Rompimento de Barragem
Publicado em: 29/01/2019

No boletim de monitoramento divulgado na noite dessa segunda-feira (27/01), o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) revisou a possibilidade da mistura de rejeito de minério vazado da barragem da Vale, na última sexta-feira, chegar ao reservatório de Três Marias, no município mineiro de mesmo nome. Isso poderia ocorrer nos próximos 20 dias, mas a leitura mais recente dos dados indica a possibilidade de o rejeito ser estocado na Hidrelétrica (UHE) de Retiro Baixo, em Felixlândia (MG).

Deslocando-se a cerca de um quilômetro por hora, a pluma, que é resultado da mistura dos rejeitos com a água, deve chegar nesta terça-feira a São José da Varginha, e na semana seguinte, entre os dias 5 e 10 de fevereiro, à UHE Retiro Baixo, em Pompéu, na Região Central de Minas Gerais. Se não for contida nessa usina, a pluma poderá seguir para Três Marias, aproximando-se ainda mais do Rio São Francisco.

Imagem: Divulgação / CPRM
Imagem: Divulgação / CPRM

O CPRM divulga dois boletins diários com a previsão de chegada do início da água turva nos pontos de interesse ao longo do Rio Paraopeba. De acordo com a entidade, a metodologia é realizada utilizando dados observados ou coletados em campo e características da bacia hidrográfica.

Rejeitos desceram o Córrego do Feijão até chegar ao Rio Paraopeba | Foto: CBMMG
Rejeitos desceram o Córrego do Feijão até chegar ao Rio Paraopeba | Foto: CBMMG

Medidas anunciadas pela Vale

Em pronunciado feito nessa segunda-feira, a Vale informou que vai instalar um sistema para impedir que o rejeito afete a captação de água da cidade de Pará de Minas feita no Rio Paraopeba. A empresa também destacou outras medidas que está tomando de forma emergencial, são elas:

1. Doação de R$ 100 mil, de imediato, a cada família das vítimas fatais da tragédia;

2. Manutenção do pagamento ao município de Brumadinho da compensação financeira pela exploração de recursos minerais;

3. Contratação de psicólogos do Hospital Israelita Albert Einstein especializados em tratamento de vítimas de catástrofes para atender as famílias das vítimas.

Trabalhos de busca e resgate

Os agentes empenhados na de busca por possíveis sobreviventes e corpos de vítimas reiniciaram o quinto dia de trabalho por volta das seis horas da manhã. Os trabalhos vão se concentrar na área onde estaria o refeitório da mineradora, onde podem estar a maior parte dos desaparecidos.

Até a noite dessa segunda-feira, foram confirmadas 65 mortes - 31 identificados. Estão desaparecidas 279 pessoas e 192 foram resgatadas.


Postar comentário