Situação da represa de Vargem das Flores será debatida na ALMG

Reservatório está localizado entre Contagem e Betim, na RMBH
Da redação* - redacao@souecologico.com
Recursos Hídricos
Publicado em: 20/11/2019

A vida útil do Reservatório de Vargem das Flores, represa localizada entre os municípios de Contagem e Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), bem como o desmatamento em seu entorno, será debatida nesta quinta-feira (21) em audiência convocada pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

A reunião atende a requerimentos do deputado Professor Irineu (PSL) e da deputada Marília Campos (PT). Conforme pedido da deputada, será debatido o estudo "Avaliação da vida útil do Reservatório de Vargem das Flores", contratado pela Copasa junto à Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos (Coppetec), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Represa da RMBH

Várzea das Flores ou Vargem das Flores é uma represa construída no Rio Betim, controlada pela Copasa. O empreendimento faz parte do Sistema Integrado do Paraopeba, que atende populações da região, também beneficiadas pelos rios Manso, Serra Azul e Vargem das Flores.

Represa foi construída no Rio Betim, na RMBH - Foto: Guilherme Bergamini/ALMG
Represa foi construída no Rio Betim, na RMBH - Foto: Guilherme Bergamini/ALMG

“Além de ser um importante reservatório de abastecimento de água para os municípios de Betim, Contagem e Belo Horizonte, a represa Várzea das Flores contribui para a sub-bacia do Rio Paraopeba, que, por sua vez, pertence à Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco”, explica o deputado Professor Irineu.

Por sua beleza natural, acrescenta, o local é utilizado pela população do entorno como área de lazer para pesca e banhos. Além disso, observa o parlamentar, pessoas de melhor poder aquisitivo têm adquirido terrenos no entorno, para residências e atividades de lazer, provocando o loteamento de áreas antigamente constituídas por grandes fazendas. A execução de obras que daí decorrem tem gerado danos ao meio ambiente, como desmatamento e movimento de terra.

(*Com informações da ALMG)


Postar comentário