Terra do Meio, coração da Amazônia é tema do Caminhos da Reportagem

Cada parada, moradores locais falam sobre os costumes e saberes
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 13/12/2019

O programa Caminhos da Reportagem, da TV Brasil, mostra um pedacinho da Terra do Meio, localizada entre os rios Xingu e Iriri, no estado do Pará. A equipe de reportagem conheceu a vida dos beiradeiros, população que vive às margens dos rios e tira todo o sustento da natureza. Para chegar às comunidades visitadas, os percursos foram feitos de barco e os longos trajetos eram compensados pelas belezas das águas e da floresta.

O programa foi ao ar nessa quinta-feira (12), às 21h.

A cada parada, moradores locais falam sobre os costumes e saberes, o trabalho, as dificuldades e o prazer da vida em contato com a natureza. Na comunidade Solidade, localizada bem perto da Reserva Extrativista (Resex) do Rio Iriri, vive Lúcia Helena. Por ali, ela é muito conhecida por suas garrafadas e conta que aprendeu com a avó. “Eu faço garrafada pra coluna, faço garrafada pra gastrite, faço garrafada pra inflamação no útero, no ovário, infecção de urina, menstruação desregulada. Se a mulher não tiver filho e não tiver tirado as trompas, ela engravida mesmo”, diz.

 Aline Lopes de Oliveira/Programarpa/Direitos reservados - via Agência Brasil
Aline Lopes de Oliveira/Programarpa/Direitos reservados - via Agência Brasil

O biólogo Rafael de Rivera explica que as Reservas Extrativistas “preveem que existem pessoas morando numa região, que têm o modo de vida considerado tradicional, em consonância com a conservação ambiental”. Segundo ele, os fatores que mais acarretam problemas e violência na região são a pesca comercial, o turismo voltado para a pesca esportiva e a retirada de madeira.

Raimunda Rodrigues trabalha na miniusina de beneficiamento de castanhas, que é parte da Rede de Cantinas e Mini usinas da Terra do Meio, da qual o Instituto Socioambiental (ISA) faz parte. Segundo Raimunda, antes da criação da Reserva Extrativista do Rio Iriri, em 2006, os ribeirinhos sofriam ameaças de fazendeiros e grileiros. “Eles chegavam ameaçando a gente porque ele queria comprar aquela área e as pessoas não queriam vender, porque a gente nasceu aqui e não queria mudar pra cidade. Depois da criação das Resex a gente tem essa paz, né?”.

Apesar das belezas e da tranquilidade da vida na floresta, a população ribeirinha também passa por dificuldades, como a falta de energia elétrica e o acesso aos serviços de saúde. “Bem aqui tem um posto de saúde, mas só construíram ele, nunca abriram pra enfermeiro nenhum entrar”, conta a dona de casa Francelma Santos.

O Caminhos da Reportagem também mostra a força e o poder das rezas. Na Terra do Meio, além dos remédios e chás feitos a partir das plantas nativas, a população conta com rezadores. Para Antônio Oliveira, o benzedor que vive na comunidade de São Francisco, esse dom vem de Deus. “A gente nasce e Deus já bota o dom daquele caminho pro cara seguir aqueles passos”. Antônio explica que as pessoas vão até ele em busca de reza para quebrante, espinha caída, mau olhado e muitos outros problemas.

Outro morador da região, Reginaldo Nascimento, o Seu Reginho, é seringueiro, rezador e apaixonado pela vida na floresta. “Aqui você vive uma vida saudável, você dorme uma coisa tão boa, aquele ‘sonão’ fora daquela ‘quenturona’, né? Na cidade é muito quente... e aqui não. Debaixo dessa natureza aqui, é a coisa mais linda do mundo!”.

Fonte: Agência Brasil


Postar comentário